Vantagens do Termômetro Digital de Testa

Com a proibição pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) no começo de 2019 da fabricação, importação e comercialização do termômetro de mercúrio, em favor da saúde e proteção ao meio ambiente, o termômetro digital de testa e outros modelos passaram a ser fabricados em larga escala.

Os termômetros digitais já se popularizaram e são muito úteis, uma vez que são até mais precisos do que os termômetros tradicionais e medem a temperatura mais rapidamente, o que é muito importante em momentos de pandemia como a que estamos vivendo.

Supermercados, farmácias e outros estabelecimentos já vêm medindo a temperatura dos clientes para evitar riscos de contaminação do novo coronavírus. Através de uma medição eficiente, você reduz os riscos de contaminação de clientes e profissionais que trabalham na sua empresa, além de reduzir filas na entrada.

Como Funciona o Termômetro Digital de Testa? 

Esse nome se popularizou por conta da sua medição que ocorre diretamente na testa, mas seu nome oficial é termômetro infravermelho temporal.  

Ele mede a temperatura quando colocado perto da artéria temporal (a que passa pelas têmporas). Para utilização, deve-se deslizar o termômetro na testa da pessoa da qual deseja medir a temperatura até chegar às têmporas.

Existe um outro modelo de termômetro infravermelho que é o auricular e é posicionado na orelha para medição. A temperatura é medida através do contato com o tímpano, por isso as instruções de utilização devem ser obedecidas à risca, para não haver imprecisão durante a medição.

Características do Termômetro Digital de Testa 

  • Mede temperatura com alta precisão;
  • Função de campainha;
  • Visor LCD;
  • Display com 3 cores;
  • Resolução de 0,1 °C;
  • Armazenamento dos 32 últimos dados de medição;
  • Salvamento e desligamento automático.

Vantagens do Termômetro Digital de Testa 

Por não precisarem de tanto vidro em sua composição, são mais duráveis e menos frágeis do que os termômetros de mercúrio e oferecem menos riscos para a sua saúde. Veja algumas vantagens abaixo!

Agilidade e praticidade 

São mais rápidos de medir, a média é 2 segundos e a amostragem de temperatura é mais precisa, já que o termômetro digital de testa consegue fazer cerca de mil medições por segundo e encontrar uma média entre elas. 

Além disso, não existe a necessidade de encostar o termômetro na pele para saber a temperatura corporal. Isso contribui para a manutenção e higiene do aparelho. 

Conforto e segurança 

Oferece medição sem contato direto e funciona a uma distância de 1 a 5 cm. Tem o funcionamento simples, basta apontar e apertar o botão. Traz o resultado de forma instantânea e tem desligamento automático quando não usado. 

O aparelho necessita somente ser apontado para a testa, permitindo uma distância considerável para realizar a medição. Com isso, ele pode ser utilizado várias vezes sem causar qualquer incômodo ao usuário.

Design e garantia 

O design e a tela de visualização são de fácil utilização e também costumam permitir acesso a dados armazenados, como data e hora. Dependendo do modelo, a garantia do termômetro de testa pode chegar a 5 anos.

O display costuma ser LCD digital e vem com luzes indicadoras de intensidade: luz verde (temperatura normal), luz amarela (temperatura média) e luz vermelha (temperatura alta). 

Também já foi testado clinicamente e atualmente é recomendado por médicos. Além de medir a temperatura corporal, é possível medir a temperatura ambiente e de objetos, se desejado.

Como Escolher o Termômetro Ideal? 

Existem inúmeros fabricantes e modelos de termômetros digitais no mercado, o que pode confundir na hora de fazer uma boa compra. A escolha irá depender das suas necessidades, preço, precisão, quantas pessoas terão que utilizar o termômetro etc.

Para adultos e no caso de necessitar realizar inúmeras medições em pouco tempo, o modelo mais indicado é o termômetro digital de testa ou infravermelho temporal, por ser mais ágil. Além disso, a agilidade da medição evita deixar as pessoas impacientes ou irritadas.

Caso opte por um modelo desses para o seu estabelecimento, lembre-se de seguir à risca as instruções de uso e treinar a sua equipe, caso contrário, a medição poderá ser imprecisa.

Conclusão: Termômetro Digital de Testa é Confiável? 

Em todos os aspectos, sim, o termômetro de testa é confiável e vale muito a pena caso você precise realizar medição rápida e precisa.

No quesito praticidade e conforto é certamente um dos melhores. Um termômetro digital de testa é rápido e evita contato com o paciente, o que previne infecções, além de ser muito simples de ser usado.

Necessitando de um termômetro eficiente para seu estabelecimento? Entre em contato conosco!

Deixe seu e-mail e receba conteúdos exclusivos

Top 3 Dicas Para Evitar Riscos Hospitalares na Pandemia

Germes e vírus estão em todos os lugares, mas os centros de saúde e hospitais devem estar especialmente vigilantes ao controlá-los e evitar riscos hospitalares. Se não forem tomadas as medidas adequadas para evitar a contaminação cruzada em hospitais e outros ambientes de saúde, isso pode colocar em risco a equipe e os pacientes.

A disseminação de bactérias e outros patógenos é particularmente preocupante para pessoas com sistemas imunológicos comprometidos, por isso é fundamental ter protocolos de limpeza que atenuem adequadamente a ameaça de contaminação cruzada. 

É importante que todo hospital crie uma política e programa de limpeza centrada no paciente com a prevenção de contaminação cruzada do coronavírus e outros vírus que circulam nos ambientes hospitalares. 

Confira estas três dicas para ajudar a evitar a contaminação cruzada em seu hospital:

1- Use Produtos Corretos Para Limpeza 

Para impedir que bactérias nocivas se espalhem, sua equipe precisa saber a diferença entre limpeza, higienização e desinfecção. Eles também precisam ter os materiais de limpeza certos para fazer o trabalho corretamente:

  • Panos de microfibra. A microfibra é mais eficiente ao coletar sujeira, resíduos e germes do que os materiais de limpeza tradicionais. Uma combinação de água limpa, detergente e um pano de microfibra é ideal para a limpeza básica da superfície.
  • Desinfetante hospitalar. Depois que uma superfície ou um item é limpo, ele pode ser desinfetado. As unidades de saúde devem usar desinfetantes hospitalares para evitar a contaminação cruzada.
  • Desinfetante para as mãos com álcool em gel. Manter o desinfetante para as mãos à base de álcool amplamente disponível em toda a unidade de saúde pode ajudar a impedir a propagação de germes no contato corpo a corpo.

Além de usar os suprimentos certos, manter os materiais sujos e limpos separados e seguir os procedimentos adequados na lavagem também são críticos para reduzir os riscos hospitalares de contaminação cruzada nos ambientes de saúde.

2- Programa de Limpeza de Rotina 

A limpeza e desinfecção regulares ajudam a controlar vírus e bactérias antes que eles tenham a chance de se espalhar de uma superfície ou sala para outra. Os itens e superfícies que são tocados com frequência são mais propensos a contaminação e, portanto, requerem uma limpeza mais frequente e completa. 

Toda a equipe deve ser treinada com protocolos básicos de limpeza para ambientes de assistência médica, especialmente áreas de alto contato, para minimizar os riscos hospitalares de contaminação cruzada.

As superfícies de alto toque nas configurações de assistência médica incluem:

  • Maçanetas
  • Trilhos para cama
  • Mesas
  • Torneiras
  • Assentos sanitários e alças de descarga
  • Telefones
  • Botões do elevador
  • Dispensadores de desinfetantes para as mãos

3- Incentive a Higienização das Mãos da Sua Equipe 

A conscientização é a melhor maneira de reduzir os riscos hospitalares. A higiene adequada das mãos é a dica mais simples, mas talvez a mais importante, de prevenção da contaminação cruzada nos estabelecimentos de saúde. A higiene adequada das mãos consiste em apenas algumas etapas fáceis:

  1. Molhe as mãos com água.
  2. Aplique sabão, espuma e esfregue vigorosamente por pelo menos 20 segundos.
  3. Preste atenção a todas as superfícies das mãos, incluindo as unhas.
  4. Enxágue bem e seque as mãos com um pano limpo, secador de ar ou toalha descartável.

Pare evitar riscos hospitalares de propagação de germes e vírus, garanta que sua equipe esteja lavando as mãos da maneira correta e nos momentos certos. De acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), a higiene das mãos nos estabelecimentos de saúde deve ser realizada nas seguintes situações:

  • Antes de comer.
  • Antes e depois do contato com a pele do paciente.
  • Antes de mudar para um local de corpo limpo após o contato com um local de corpo contaminado.
  • Depois de usar o banheiro.
  • Após remover as luvas.
  • Após contato com qualquer objeto próximo a um paciente.
  • Após contato com fluidos corporais ou pele.
  • Depois de higienizar uma ferida.

Embora sua equipe desempenhe um papel crucial na prevenção diária da contaminação cruzada, também é recomendável que os estabelecimentos de saúde façam parceria com empresas de limpeza terceirizadas e experientes com procedimentos documentados, projetados para reduzir os riscos hospitalares de contaminação cruzada.

Leia também:

[avs_toc]

Deixe seu e-mail e receba conteúdos exclusivos

Guia: Importância do controle de temperatura de geladeira

O controle de temperatura de geladeira é necessário para garantir a preservação de produtos, sejam eles alimentos em restaurantes, frigoríficos, supermercados, como também farmácias, enfermarias, hospitais e transporte de vacinas e medicamentos, que são considerados produtos sensíveis às alterações climáticas. Leia o artigo até o final e saiba mais sobre a importância do controle, os riscos e como solucionar. 

Controle de temperatura de alimentos

Controle de temperatura de alimentos

O controle da temperatura dos alimentos é extremamente importante para garantir que os alimentos estejam saudáveis para consumo. Se você tem um restaurante, supermercado, mercearia ou frigorífico deve ficar atento ao controle de temperatura de geladeira. Isso é essencial para minimizar riscos de contaminação por bactérias nos alimentos que oferece ou comercializa. 

Os produtos à base de carne são comumente considerados de alto risco, mas produtos secos, como arroz, leguminosas e vegetais também podem conter bactérias que podem crescer se os alimentos estiverem sujeitos a um controle de temperatura precário. Alimentos perecíveis devem sempre ser mantidos fora da zona de perigo de 8 a 63º C para impedir o crescimento de bactérias nocivas.

Cozimento dos alimentos

Em alimentos crus, como carne, frutas e legumes, altos níveis de bactérias podem estar presentes devido a contaminação do solo ou dependendo do processo de preparação. É importante que os alimentos sejam cozidos completamente a uma temperatura central de pelo menos 75º C por pelo menos por 2 minutos para matar as bactérias e depois mantidos a uma temperatura igual ou superior a 63º C.

Uma maneira de verificar se os alimentos foram cozidos completamente seria usar um termômetro, mas você também deve tomar cuidado para que os termômetros não contaminem os alimentos.

Para impedir que isso aconteça basta limpar e desinfectar o termômetro sempre antes de usá-los com alimentos prontos para consumo. Também é recomendável manter um registro das verificações que você faz. É uma boa prática verificar e registrar pelo menos duas ou três temperaturas de alimentos de alto risco por dia.

Resfriamento de alimentos

O resfriamento de alimentos não mata bactérias, mas as impede de crescer em níveis considerados perigosos. Por esse motivo, é uma obrigação legal que alimentos perecíveis sejam mantidos refrigerados a 8º C ou menos. Idealmente, os alimentos congelados devem ser mantidos a uma temperatura igual ou inferior a -18ºC.

É uma boa prática verificar e registrar as temperaturas da geladeira e do freezer pelo menos uma vez por dia.

A legislação estabelece que os alimentos devem ser resfriados o mais rápido possível. Métodos como reduzir o tamanho da porção, espalhar alimentos em uma bandeja aberta ou usar gelo podem ajudar a esfriar os alimentos rapidamente antes de serem refrigerados, e você deve tentar esfriar os alimentos a menos de 8º C em 90 minutos.

Controle de temperatura de medicamentos e vacinas

medicamento e vacina

Se você administra uma farmácia ou hospital sem dúvida armazenará uma grande variedade de medicamentos e vacinas em suas instalações.

Nesse caso, muitos deles serão armazenados em um refrigerador especializado. Eles são muito diferentes de outras geladeiras usadas ​​em casa, porque eles vêm com recursos de controle de temperatura altamente precisos.

Mas, por que o controle de temperatura de geladeira é tão essencial ao armazenar medicamentos na farmácia, hospitais ou até mesmo no transporte de vacinas e medicamentos?

Os medicamentos precisam ser armazenados a temperaturas específicas. Alguns medicamentos – e a maioria das vacinas – precisam ser armazenados dentro de uma faixa de temperatura específica, geralmente entre 2°C e 8°C.

Essa é a faixa de temperatura que os mantém estáveis. No caso das vacinas, elas precisam permanecer dentro dessa temperatura para ter efeito no sistema imunológico. Se aquecerem muito, sua imunogenicidade é diminuída e elas podem se tornar inúteis.

Algumas vacinas, como o sarampo, são particularmente sensíveis à temperatura. Quando a temperatura está muito alta, essas vacinas podem ser facilmente danificadas.

Quando a temperatura fica muito baixa, isso também pode causar danos às vacinas. O diluente, que é o líquido usado em muitas vacinas, pode congelar em baixas temperaturas e isso pode destruir a vacina.

Como resultado, eles devem ser mantidos dentro dessa faixa de temperatura desde o momento em que são produzidos até serem aplicados.

Oscilação de temperatura pode danificar vacinas

O problema com o uso de geladeiras domésticas ou geladeiras de baixa qualidade, é que elas não conseguem ter um controle de temperatura de geladeira extremamente preciso.

Quando certos medicamentos e vacinas são armazenados em uma faixa de temperatura que oscila, eles podem ser danificados irreversivelmente. Sua potência é afetada e eles se tornam inseguros de usar, porque podem expor o paciente à doença.

Uma vez danificada, a vacina se torna inútil. Vacinas e medicamentos custam muito dinheiro e isso pode resultar em uma perda financeira significativa para sua farmácia ou hospital, se você precisar substituí-los.

Armazene sempre medicamentos em geladeiras especializadas

Nunca guarde seus medicamentos ou vacinas em uma geladeira que não tenha sido especialmente projetada para esse fim. Não vale a pena o risco. O perigo de perder os medicamentos caros é real e pode ter um sério impacto financeiro em seus negócios.

Obviamente, existem muitos tipos de geladeiras para farmácias, alguns dos quais são melhores que outros. Além do controle de temperatura altamente preciso, você pode adquirir uma geladeira com recursos extras, como uma trava para segurança adicional ou um design ecológico que consome menos eletricidade.

Explore suas opções e encontre a geladeira certa para sua farmácia, para garantir que todos os seus medicamentos e vacinas sejam armazenados corretamente o tempo todo.

Soluções eficientes para controle de temperatura

Existem softwares de controle de temperatura que mantêm a temperatura correta e, com isso, fornecem mais segurança no armazenamento de vacinas e medicamentos, além de alimentos e bebidas. 

O principal benefício é que as configurações de controle de temperatura são muito mais precisos. Quando você define a temperatura, ela não sofre oscilação e permanece dentro da faixa especificada.

Os aplicativos monitoram a temperatura o tempo todo, para que a temperatura esteja sempre estável, além de enviar avisos em caso de irregularidade e emitir relatórios constantes para controle.

Por exemplo, se a porta for deixada aberta por acidente ou se houver uma falha na geladeira, um alarme sonoro será acionado. Isso permite que você tome medidas rapidamente para resolver o problema antes que os produtos sejam prejudicados.

O I-Vigilant é um software eficiente para monitoramento de temperatura. Ele oferece um registro detalhado de dados de temperatura, funciona 24 horas por dia, 7 dias por semana, para que você monitorar a temperatura, mesmo que esteja fora, uma vez que ele pode ser acessado em tempo real de qualquer lugar.

Com o monitoramento, a equipe recebe alertas instantâneos quando as medidas são detectadas acima ou abaixo dos parâmetros definidos, para que possam tomar medidas imediatas para resolver o problema.

Como está sendo feito o controle da temperatura dos seus produtos? Solicite um orçamento conosco. 

[avs_toc]

Deixe seu e-mail e receba conteúdos exclusivos

Biocam e Expedicionários da Saúde no Combate ao Coronavírus

A Associação Expedicionários da Saúde (EDS), com o fundamental apoio da BIOCAM, está se mobilizando para ajudar no combate ao Sars-CoV-2 (COVID-19) com o objetivo de garantir assistência médica especializada, gratuita e eficaz aos pacientes acometidos pelo novo coronavírus.

A ONG, em conjunto com seus parceiros, tem como expertise a sinergia entre pessoas e instituições e oferecer uma logística e tecnologia de primeira linha para todos. A EDS irá trabalhar em Campinas, cooperando com o Hospital de Clínicas da UNICAMP, com um Pronto Atendimento para demandas relacionadas ao novo coronavírus a partir de amanhã, dia 01/04.

Além disso, está em fase de implementação uma nova estrutura médica de apoio que funcionará como enfermaria semi-intensiva com 100 leitos e equipamentos médico-hospitalares que ficará à disposição da população. Na Missão COVID-19, trabalharão voluntários EDS e profissionais da saúde pública, em uma parceria com governos estaduais e municipais da Região Metropolitana de Campinas (RMC).

A Biocam vem colaborando com todo o dimensionamento da rede e painéis de gases, com a organização da beira do leito para otimizar o trabalho dos profissionais e garantir o máximo de segurança e conforto para os pacientes atendidos.

Interessados em contribuir com a instituição devem acessar o portal www.eds.org.br e fazer suas doações.

Associação Expedicionários da Saúde e Biocam

A Associação Expedicionários da Saúde é uma organização brasileira sem fins lucrativos criada em 2003 por um grupo de médicos voluntários da cidade de Campinas (SP), que tem como objetivo levar medicina especializada, principalmente atendimento cirúrgico, às populações que vivem isoladas na Amazônia brasileira. 

Até o momento, a EDS realizou 44 expedições com o total de 8.763 cirurgias, 62.881 atendimentos especializados e 97.060 exames e procedimentos, todos gratuitos. Além disso, também realizou 7 Expedições SOS Haiti no ano de 2010, logo após o terremoto que devastou aquele país.

Rogério Ulbrich, CEO da Biocam, se envolve com esse projeto desde 2009, quando viajou mais de 3 mil km até São Gabriel da Cachoeira, no Amazonas, para prestar assistência junto a médicos e voluntários. Desde então contribui com o projeto em nome da Biocam, com empréstimo de equipamentos e captação de parcerias de tecnologia.

Será que nanopartículas de óxido de prata e óxido de cobre repelem vírus de carga positiva como o coronavírus?

Alguns estudos já comprovaram a eficiência de materiais com carga de nanopartículas de óxido de prata e óxido de cobre na redução da proliferação de bactérias e amenização do riscos de contaminação cruzada, como é o caso dos laudos da linha NOBAC produzido pela WEG, que utiliza este material em seus produtos e a BIOCAM que aplica nanopartículas de óxido de prata nas capas e manípulos de suas válvulas reguladoras de pressão.

Entretanto, ainda não se sabe se esse mesmo metal é eficaz no combate ao vírus. Nanopartículas de óxido de prata possuem íons positivos que, quando em contato com outras moléculas de carga positiva, promovem um afastamento dessa partícula.

Portanto, sugere-se que quando esse metal entra em contato com vírus de carga positiva como o coronavírus ocorra uma força repulsiva que afaste o vírus da superfície de equipamentos que utilizam esse princípio ativo.

Porém, ainda é necessário a realização de pesquisas que comprovem a ação de repulsão das nanopartículas com relação ao vírus.

Confira o vídeo explicativo sobre o assunto:

Saiba um pouco mais sobre o assunto no artigo completo “Equipamentos hospitalares a base de óxido de prata x vírus de carga positiva”, de autoria da Lais Regina Rossi, Mestre em Ciências pela USP e doutoranda no programa de Cirurgia e Anatomia do HC-RP.

[avs_toc]

Deixe seu e-mail e receba conteúdos exclusivos

Por que as centrífugas quebram?

O principal motivo de quebra de tubos da centrífuga se deve à má alocação dos tubos no porta-tubos. Você certamente sabe que todo equipamento possui um limite para a sua vida útil. Não se deve ultrapassar esse limite, pois a corrosão do metal debilita a máquina e diminui seu desempenho. Fique sempre atento ao seu estado de conservação.

Motivos da quebra dos tubos da centrífuga

A quebra pode ocorrer pela utilização de tubos de tamanho menor do que a capacidade do porta-tubo seja em espessura ou comprimento. Caso elas fiquem soltas dentro do porta-tubo, elas correm o risco de quebrar. 

A tampa precisa ter uma trava e um botão de interrupção de movimento, pois isso pode trazer problemas, além de prejudicar o resultado. 

Outro agravante é não utilizar assentos para tubos menores que não alcançam o fundo do porta-tubo. A distribuição dos tubos de forma incorreta entre os porta-tubos ocasiona vibração excessiva na rotação e leva à quebra de tubos de vidro.

Como solucionar esse problema?

O mais aconselhável ao distribuir os porta-tubos na cruzeta é deixar todos com o mesmo peso (se for o caso adicionar pesos com tubos vazios com outro líquido apenas para equilibrar).

Em caso de lâminas o mais indicado é verificar a fixação correta para não deixar solta e nem muito comprimida. Se for o caso, procure uma equipe técnica especializada para ajustar molas da cruzeta, para que a lâmina e filtro fiquem fixas e sem compressão.

Como limpar?

Mesmo com todos esses cuidados é possível que aconteça quebra de tubos e/ou vazamento de substâncias. Por isso, a limpeza da centrífuga para laboratórios e seus acessórios devem ser realizados constantemente.

Conforme manual técnico, deve-se utilizar pano úmido com material desinfectante sem solução alcoólica. A limpeza frequente do local é necessária para que não gere cultura de bactérias ou vírus que podem contaminar o equipamento e prejudicar novos exames.

Manutenção Preventiva

  • Diário: verificar se há vibração e barulho; verificar a vedação da tampa (borracha).
  • Semestral: verificar a velocidade da centrífuga com tacômetro calibrado; verificar timer do equipamento com cronômetro calibrado e verificar a refrigeração com termômetro calibrado.
  • Trimestral: verificar carvão/escova e coletor e verificar lubrificação.

Dicas gerais

  • A tampa da centrífuga nunca deve ser aberta com o equipamento ainda em funcionamento (girando), pois isso pode interferir no resultado da pesquisa.
  • Não deve-se diminuir a velocidade da coroa com as mãos.
  • Centrífugas devem ser instaladas em mesa firme sem equipamentos com sistema ótico perto.

Leia também esses assuntos relacionados:

A calibração e a verificação do funcionamento da sua centrífuga devem seguir as orientações do fabricante. Consulte o manual.

[avs_toc]

Deixe seu e-mail e receba conteúdos exclusivos