Biocam na mídia: Valor Econômico e Frost & Sullivan

Nesta semana foi publicada matéria no Valor Econômico, trazendo o case da Santa Casa de Valinhos, projeto que foi desenvolvido em parceria com a Taggen Soluções IoT e Genesys.

A matéria fala sobre tecnologias IoT implementadas para identificação e localização dos equipamentos da UTI, com o uso de beacons, dispositivos que emitem sinais que são captados por antenas conectadas.

Essa semana também saímos na Frost & Sullivan, a mais conceituada fonte de informação para investidores em tecnologia. A reportagem fala sobre soluções tecnológicas focadas em IoT e RFID e traz o case da Santa Casa de Valinhos, onde foi implementado o Criquet, um sistema de rastreabilidade inteligente de ativos hospitalares.


Para ler o material completo, clique no botão abaixo!

LGPD na saúde: 5 impactos dessa transformação no setor

A LGPD na saúde é um assunto que vem levantando dúvidas em clínicas médicas, hospitais, consultórios e demais instituições da área da saúde. Há pouco tempo, entidades como o Conselho Nacional da Justiça e Netshoes tiveram seus sistemas invadidos, o que levou a dados particulares vazados. 

Em 2018, uma falha de segurança no aplicativo E-Health, desenvolvido pelo Ministério da Saúde, expôs os dados pessoais de milhares de usuários brasileiros do SUS. Por conta de uma brecha no sistema, foram acessados nome do titular, número do cartão, agendamentos, histórico de consultas e outros dados sensíveis dos pacientes. Por conta desses vazamentos, se fez cada vez mais necessário aprovar uma legislação que dê esse suporte e fiscalize a segurança da informação. 

O setor de saúde, por sua própria natureza, coleta uma grande quantidade de dados pessoais para prestar serviços aos pacientes. O modo como esses dados dos pacientes são gerenciados está prestes a ser radicalmente alterado, quando a Lei Geral de Proteção de Dados entrar em vigor no Brasil em agosto de 2020.

Segundo uma pesquisa realizada pelo Serada Experian, 85% das empresas ainda não se sentem preparadas para a LGPD. O setor da saúde ocupa a última posição das empresas em conformidade com a lei, ou seja, apenas 8,7% das instituições de saúde estão adaptadas à nova regulação. 

Penalidades e multas altíssimas de até R$ 50 milhões ou 2% do faturamento da instituição serão aplicadas às empresas que não estiverem em conformidade com as novas regras.

Qual o objetivo da LGPD na saúde?

A nova lei LGPD afetará todas as empresas, mas na área da saúde, os novos regulamentos darão a cada paciente mais controle sobre os dados pessoais que são coletados, além de informações sobre como essas informações serão usadas e onde serão mantidas. 

A lei número 13.709 aprovada irá restringir e assegurar o compartilhamento de informações de pacientes (e clientes no geral) sem consentimento. 

A proposta tem como objetivo acabar com a utilização discriminada de informações pessoais para fins comerciais sem autorização do usuário. A lei irá trazer mais segurança para essas informações e tratará com rigor os dados coletados dos clientes seja em clínicas, hospitais, laboratórios ou operadoras de saúde.

Todas as informações coletadas devem ser criptografadas ou codificadas para que não sejam vazadas. 

Proteção contra o crime organizado digital

Devemos lembrar que no meio digital existe um conglomerado de informações que são trocadas entre empresas que podem cair nas mãos de pessoas maliciosas. Principalmente no setor da saúde, faz parte da rotina médica repassar informações de pacientes para laboratórios, farmácias, agentes de saúde e outros órgãos. 

Devido a esse grande volume de informações pessoais trocadas que esse setor atrai os olhos de quadrilhas do crime organizado digital, que se utilizam das brechas no sistema para realizar sequestro de dados e cometer crimes de extorsão.

Os impactos da LGPD na saúde

Os gestores da saúde precisam ficar atentos às mudanças que a lei trará para a realidade das empresas. As principais estão listadas abaixo!

Exigência de autorização

Os dados de pacientes só poderão ser coletados e armazenados após autorização prévia deles. Isso é válido tanto para fichas e prontuários novos e também os já existentes. Ou seja, isso significa que as empresas deverão ir atrás dos pacientes já cadastrados para obter essa autorização.

Documentos digitais e físicos

A lei vale tanto para documentos, fichas e prontuários eletrônicos quanto os armazenados em papel. A LGPD na saúde se aplica a troca de dados entre diferentes áreas como telemedicina, cobrança de serviços de saúde, SUS, intercâmbio de informações com laboratórios e outros. 

Mensagens entre médicos e pacientes

A troca de informações via Whatapp entre médicos e pacientes ou laboratórios e pacientes ainda pode ser mantida normalmente, mas todas as conversas devem ser criptografadas. 

Contratação de profissional

Essa lei exige que seja feita a contratação de um funcionário especificamente para controlar essa parte. Um responsável interno ou terceirizado deverá realizar a gestão da segurança da informação dos dados dos clientes, seguindo as normas da ISO 27.001 e ISO 27.799. Em caso de comprovação da insegurança do sistema, tanto a empresa quanto o profissional serão responsabilizados.

Transparência com pacientes

Os pacientes terão direito de ter conhecimento sobre quais dados seus constam no sistema e para que finalidade são mantidos. Poderá revogar esse direito, exigindo a exclusão dessas informações no momento que julgar pertinente. 

Controle da ANPD

A Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD) será o órgão federal responsável por realizar a fiscalização das empresas com relação à segurança dos dados pessoais dos usuários.

O que fazer para garantir a segurança de dados dos pacientes?

Como já mencionado, o principal objetivo da LGPD na saúde é garantir a segurança dos dados dos pacientes. Para que as empresas do setor se blindem, evitem as multas e ofereçam proteção de dados dos pacientes, o mais indicado é a contratação de serviços tecnológicos de ponta. Saiba mais aqui

Sistemas e profissionais qualificados

Ter profissionais qualificados da Tecnologia da Informação, bem como sistemas robustos e eficientes pode ser a solução. O primeiro passo é realizar uma auditoria interna com um especialista em segurança da informação para que faça um diagnóstico dos pontos fracos dentro da organização. 

O que for identificado como em não conformidade deve ser ajustado e aquilo que estiver em conformidade, mas puder ser melhorado, deve ser otimizado. Os fornecedores de software, banco de dados e provedor de hospedagem devem ser adequados às novas regras.

Certificação de softwares e aplicativos

O segundo passo é obter a certificação de softwares e aplicativos que contém informações confidenciais e pessoais dos pacientes. Os softwares utilizados deverão ser aprovados por instituições como a Sociedade Brasileira de Informática em Saúde (SBIS).

Deve-se providenciar a criptografia de todos os bancos de dados e transações digitais. Obter a assinatura digital também será requisitada, conforme a Lei de Digitalização do Prontuário. Um sistema de gestão hospitalar eficiente e seguro também pode ajudar na preservação das informações médicas.

Criar novas políticas internas

Será preciso rever os processos, criar novas políticas internas, de modo que todos os funcionários estejam conscientes sobre a LGPD na saúde e se adaptem às novas exigências, incorporando as normas nas suas atividades diárias de trabalho, de modo a não comprometer a segurança de informações. Se for necessário deverá ser introduzido isso na cultura da empresa através de treinamentos.

É indicado também criar documentos informativos a serem repassados aos pacientes informando sobre o fluxo de coleta de informações, como é feito, como é armazenado, para passar mais confiança aos usuários. 

Custos de investimento

Todas essas mudanças terão altos custos de investimento e envolvem a cultura organizacional da empresa, treinamento e capacitação dos funcionários, além de aquisição de softwares e profissionais específicos de TI, por isso que haverá um certo período de adaptação antes da lei entrar em vigor efetivamente. 

Evite deixar para última hora, uma vez que o prazo é apertado. Ignorar essa nova lei não é uma boa ideia, uma vez que arcar com uma multa terá um custo muito mais elevado para a sua empresa, além de prejudicar a reputação da sua instituição.

Biocam apoia o EDS nas expedições junto às populações indígenas e ribeirinhas

A Biocam é uma empresa com responsabilidade social que procura se envolver em iniciativas que impactem e tragam alguma contribuição para a sociedade. Por isso, se envolve no projeto da EDS (Expedicionários da Saúde), organização não governamental fundada em 2003 por médicos, que têm como missão levar atendimento médico especializado, principalmente cirúrgico, até populações indígenas que vivem geograficamente isoladas. 

Com o objetivo de diminuir a distância que separa a população indígena dos hospitais dos grandes centros, a EDS facilita o acesso a um atendimento médico de alta qualidade e gestão responsável. 

Próxima expedição e números expressivos

A próxima expedição será a de número 44, na comunidade de São Miguel do Arapiuns, Rio Arapiuns (PA), entre os dias 29 de novembro 07 de dezembro deste ano. 

Ao longo dos 16 anos de existência, o EDS coleciona números expressivos. Já são mais de 300 voluntários ativos, 43 expedições realizadas até agosto de 2019, 8 mil cirurgias, 60 mil atendimentos médicos, 90 mil exames e procedimentos, 3 mil óculos doados e uma área coberta de 500 mil km².

Os 4 meses de preparação logística que antecedem a expedição envolvem: 

  • Reunião com lideranças indígenas e instituições responsáveis pela saúde local
  • Capacitação das equipes de saúde
  • Triagem de pacientes
  • Transporte
  • Alimentação
  • Hospedagem
  • Mobilização da comunidade
  • Infraestrutura local (as obras ficam de melhoria para as comunidades)
  • Gestão de 15 toneladas de equipamentos

Nessa iniciativa a equipe voluntária com médicos, enfermeiros e profissionais da área de logística atendem as populações indígenas e ribeirinhas em centros cirúrgicos móveis, onde realizam cirurgias de baixa e média complexidade. Contam com apoio do Ministério da Saúde, Ministério da Defesa e Ministério da Justiça. 

São realizadas três expedições por ano. Cada uma delas dura 7 dias e nesse período são realizados inúmeros procedimentos e exames, cirurgias e atendimentos Em cada expedição, mais de 70 voluntários EDS entram em ação para atender as comunidades indígenas.

Participação da Biocam

Rogério Ulbrich, CEO da Biocam, se envolve pessoalmente com esse projeto desde 2009, quando viajou mais de 3 mil km até São Gabriel da Cachoeira, no Amazonas, para prestar assistência junto de médicos e voluntários. Desde então contribui com o projeto em nome da Biocam, com empréstimo de equipamentos e captação de parcerias de tecnologia. 

“O que fica de cada expedição é o prazer de fazer parte do Expedicionários da Saúde, mesmo que seja à distância. Tenho a satisfação de contribuir de alguma forma com esse projeto responsável. Todos os colaboradores da Biocam se envolvem na expedição, seja separando material, emitindo uma nota fiscal ou até embalando materiais na logística, cada um colabora de alguma forma”, comenta Rogério.

Saiba mais sobre a EDS e participe através de doações! 

Biocam participa de Seminário de Infraestrutura para IoT

Á convite da diretoria do Instituto de Tecnologia de Software e Serviços e do Fórum Brasileiro de IoT, a Biocam irá palestrar no Seminário de Insfraestrutura para IoT no dia 27 de novembro, às 09h.

Rogério Ulbrich, CEO da Biocam, irá trazer os cases BNDES e HC, soluções, projetos em andamento e previsões futuras relacionadas ao IoT na área da saúde para o público presente. 

Na parte da tarde haverá um painel com fornecedores da área de comunicação que estarão trazendo esclarecimentos aos usuários dessas soluções. 

No dia seguinte (28/11), haverá uma palestra sobre Normatização e Padronização do Plano Nacional de IoT e relatos do evento Digital Object Architecture (DOA) que aconteceu em outubro deste ano (2019) na China. 

Durante os dois dias de eventos, empresas como Oracle e SAP estarão apresentando soluções inovadoras. 

Sobre o evento

O objetivo do encontro é debater sobre o desenvolvimento de IoT no Brasil, falando das dificuldades e barreiras enfrentadas para a implementação da Internet das Coisas. 

O evento acontece nos dias 27 e 28 de novembro, das 09h às 16h no Auditório Mackgraph na Universidade Mackenzie em São Paulo.

Confira a programação completa. Adquira o seu ingresso e participe deste papo!

O que acarreta o desbalanceamento da centrífuga?

Você sabe da importância do balanceamento da centrífuga? Essa é uma das etapas mais importantes para garantir a eficiência da operação da máquina. Calibrar corretamente o rotor é essencial para evitar vibrações indesejáveis e desvios no resultado da centrifugação. 

O fato de manter o balanceamento da centrífuga em dia também aumenta a durabilidade da máquina e a segurança dos operadores. As centrífugas contém um sistema de segurança de desbalanceamento, a fim de prevenir que a rotação inadequada da centrífuga prejudique as amostras tanto em resultado como em risco de acidente. 

O que pode acarretar o desbalanceamento da centrífuga? 

Muitos são os fatores que podem levar ao desbalanceamento da centrífuga, mas a maior parte das centrífugas já vêm equipadas com detector de desbalanceamento. Esses detectores desligam o sistema antes de gerar algum desequilíbrio que comprometa ou cause danos ao mancal. 

Caso uma máquina não tenha esse sensor de vibração, é bem provável que a centrífuga chegue ao limite do desequilíbrio, gerando uma separação ineficiente de material a ser centrifugado e sedimentos previamente isolados. Os principais fatores que ocasionam desbalanceamento é o rotor estar fora de balanceamento de giro em relação ao motor

O rotor de circulação desbalanceado pode ocasionar ruídos altos, prejudicar o motor e causar desprendimento de amostras do porta tubo. Caso a diferença de distribuição do peso estiver acima da faixa de tolerância do equilíbrio da separadora, o centro de gravidade se deslocará e se desviará do eixo central, gerando uma vibração desequilibrada. 

O sistema quando percebe a vibração acima do padrão operacional desliga o motor e notifica o erro de desbalanceamento no display.

Como fazer a verificação correta?

  1. O primeiro procedimento técnico é verificar a rotação do motor e se está adequado para o tamanho de tubos que estão sendo utilizados pela centrífuga. 
  2. É importante que a centrífuga esteja adequadamente ajustada para atender cada tipo de tubo e porta tubo presente, pois pode interferir na sua aceleração, rotação e desaceleração de forma incorreta prejudicando a amostra e até ocasionando erro de balanceamento.
  3. Para identificar o rotor desbalanceado a maneira mais fácil é girar o rotor com a centrífuga desligada e verificar se não há ondulação no ciclo de giro.
  4. Caso esteja inadequado retirar o rotor com auxílio de ferramenta, verificar sua integridade e se foi corretamente encaixado no eixo do motor.
  5. Os porta tubos as vezes podem apresentar diferentes pesos, com auxílio de balança de precisão deve-se equilibrar seus pesos para distribuição no rotor.

Exemplo:

Se temos 2 porta tubos com 100 gramas e 2 com 102 gramas deve-se distribuir no rotor cada porta tubo com peso igual ao da outra ponta do rotor. Se você quer centrifugar uma amostra de 5 mL, coloque outro tubo idêntico, com mesmo volume, no lado oposto do rotor. Ou seja, o número de tubos centrifugados sempre será par.

No exemplo abaixo mostramos a forma correta de distribuir os tubos em um rotor com porta tubos angular fixo.

Dicas fundamentais

A escolha do porta tubo é primordial para melhorar o desempenho da centrífuga. Se temos um porta tubo que atenda tubos de 20 ml não podemos utilizar porta tubos de 10 ml.

O porta tubo e o tubo devem estar bem encaixados e sem folgas para evitar deslocamento e quebra. Em alguns casos pode acontecer do tubo não alcançar o fundo do porta tubo. 

Neste caso, é aconselhável utilizar calço no fundo para que o tubo não quebre na região da tampa do tubo devido a inércia da amostra.

Em caso de utilização de centrífugas sem trava de tampa elétrica é aconselhável aguardar o término de rotação do motor para que abra a tampa, pois se abrir durante a rotação corre-se o risco de algum tubo se soltar do porta tubo e atingir externamente ou cair internamente na centrífuga.

Como limpar?

A limpeza da região do rotor e motor deve ser com sabão neutro, solução bactericida sem álcool e com luvas. Tome cuidado com o rotor, pois as pontas que podem cortar a mão.

A limpeza deve ser realizada com frequência, pois pode gerar contaminação, prejudicar as amostras e o usuário que manipula os tubos.

Centrífuga Fanem 

A Centrífuga Fanem foi desenvolvida para uso em laboratórios e bancos de sangue para procedimentos de centrifugação para micrométodos. Devido as suas opções de rotores, atende aos diferentes processos de microcentrifugação, tais como: testes de grupo sanguíneo, tipagem sanguínea, testes de Coombs e lavagem de células, análise de células em citologia, testes de microhematócrito, microseparações em bioquímica ou biologia, tais como, radioimunoensaio (RIA), receptor de hormônios, análises de aminoácidos, ensaios imunológicos, DNA, separação de materiais aquosos e não aquosos, química industrial e educacional. 

Utilizando-se da aplicação de uma força centrífuga para separar as diversas fases de diferentes densidades, a Centrífuga apresenta a possibilidade de uso com vários tipos de cruzetas e porta-tubos diversos, proporcionando uma grande versatilidade nos trabalhos de laboratórios em geral. 

Confira as centrífugas da Fanem disponíveis. Em caso de dúvidas, entre em contato para mais informações!

Organização da Geladeira de Vacinas: Saiba Como Garantir o Controle de Qualidade

A organização da geladeira de vacinas é fundamental para garantir a eficácia e segurança das vacinas. A conservação de imunobiológicos em nível local apresenta riscos que podem colocar em risco a efetividade da imunização em países em desenvolvimento e nos desenvolvidos também.  

As geladeiras para vacinas são equipamentos de uso doméstico utilizadas na rede de frio e utilizadas para estocagem de vacinas em temperatura positivas a +2°C. O ideal é que a temperatura esteja entre +2°C e +8°C, sem sofrer perda de potência no armazenamento. 

Regras importantes do PNI

Existem algumas normas que devem ser seguidas, conforme orientação do PNI (Programa Nacional de Imunizações), do Manual da Rede Frio para correta conservação das vacinas nas geladeiras. As orientações principais são:

  • Colocar gelo reciclável no congelador na posição vertical (isso contribui para aumentar lentamente a temperatura, protegendo os imunobiológicos em caso de queda de energia elétrica ou defeito do equipamento)
  • Colocar vacinas que podem ser congeladas (poliomielite, sarampo, febre amarela, rubéola, tríplice viral) na primeira prateleira em bandejas perfuradas para permitir circulação do ar. 
  • Colocar na segunda prateleira vacinas que não podem ser congeladas (dT, DTP, Hepatite B, Hib, influenza, TT e BCG) também em bandejas perfuradas.
  • Colocar na terceira prateleira os soros, diluentes e caixas com vacinas bacterianas conservadas entre +2°C e +8°C
  • Colocar o termômetro de máxima e mínima na posição vertical logo ao centro da segunda prateleira
  • Retirar as gavetas da parte inferior debaixo da geladeira e colocar garrafas de água colorida para manter estável a temperatura do interior. As garrafas devem ser tampadas, pois o processo de evaporação acelera formação de gelo. 
  • A porta do congelador e a bandeja coletora deverão ser mantidas. Não devem ser usadas bobinas de gelo reciclável como substitutas das garrafas.
  • Deve-se também manter afixado na porta aviso para que ela não seja aberta fora do horário de retirada e/ou guarda das vacinas
  • Instalar em local arejado, longe de fontes de calor e de incidência solar direta, em ambiente climatizado e devidamente nivelado.
  • Suporte com rodas na base da geladeira. 
  • Não colocar nada na geladeira que obstrua a circulação de ar. 

Além disso, a organização da geladeira de vacinas também exige outros cuidados importantes como leitura do termômetro interno do refrigerador no início e final da jornada e registro da temperatura, uso de tomada específica para a geladeira, instalação da geladeira longe das fontes de calor e a 20 cm da parede, não colocar qualquer produto na porta da geladeira, fazer o degelo a cada 15 dias, manter a porta vedada. 

O que prejudica a refrigeração da geladeira?

Equipamentos indevidamente mantidos, falta de monitoramento da temperatura e dos danos causados pelas oscilações de temperatura podem levar a problemas na manutenção da refrigeração.

A organização da geladeira de vacinas tem tudo a ver com a qualidade e correta manutenção das vacinas, de modo que elas não sofram interferência do ambiente e sejam mantidas em perfeito estado para uso. Trata-se de uma questão de segurança e eficácia das vacinas.

Internet das Coisas e organização da geladeira de vacinas

Sabemos que as vacinas não podem sofrer com interferências de temperatura, por isso que ter um software ou sistema de monitoramento de vacinas é essencial para garantir a qualidade dos seus produtos. 

O I-Vigilant é uma solução da Internet das Coisas que monitora e controla a temperatura das geladeiras. Qualquer problema ele notifica diretamente via SMS, What’s App ou e-mail. Relatórios estão disponíveis em tempo real para acompanhamento. Trata-se de uma solução revolucionária que surgiu para facilitar o dia a dia da equipe médica e também para garantir o bem estar dos pacientes, reduzindo riscos.

Saiba mais sobre monitoramento do material hospitalar

Conscientização da equipe médica

Não basta apenas adquirir tecnologia de ponta se a equipe médica não estiver consciente da importância do monitoramento. Deve ser feito um reforço na informação e na formação dos responsáveis pela vacinação para que sigam corretamente as regras e estejam preparados para monitorar a temperatura e realizar a organização da geladeira de vacinas de maneira adequada. 

Em algumas pesquisas realizadas em alguns países como na Bolívia, por exemplo, verificou-se que os profissionais de saúde responsáveis pela imunização apresentaram baixo conhecimento sobre as consequências de congelamento de alguns tipos de vacinas. 

No Brasil também não é diferente, aqui também foram verificadas falhas no cumprimento das recomendações de conservação de vacinas. Veja também sobre a importância do monitoramento do gás medicinal nos hospitais. 

Problemas mais comuns nos hospitais e centros de saúde

O Ministério da Saúde pressupõe um conjunto de medidas com o objetivo de manter estável a temperatura no interior da geladeira. Conforme mencionado, os refrigeradores devem ser usados para uso exclusivo de armazenamento de imunobiológicos, para que não haja nenhum tipo de contaminação.

Isso acontece porque os imunobiológicos são produtos termolábeis e termossensíveis. O fato da geladeira ser aberta muitas vezes, por diferentes profissionais  sem conhecimento da temperatura pode levar a uma série de problemas.

É também recorrente encontrar as vacinas dispostas em locais equivocados, inadequadamente. É indispensável a leitura da temperatura em pelo menos dois momentos diferentes do dia, registrando os valores encontrados em mapas de controle diário de temperatura. Os profissionais podem se organizar e realizar a leitura uma vez no começo do dia e outra ao final do dia. 

O que costuma acontecer também de forma corriqueira é a negligência na limpeza e degelo da geladeira. Essa é uma conduta técnica importante e essencial para manter as condições ideais das vacinas. Como já mencionado, a cada 15 dias deve ser feita o degelo ou quando ele atingir 0,5 cm. 

O monitoramento da temperatura das caixas térmicas é justificado pelo fato das bobinas de gelo funcionarem como uma espécie de receptor de calor. Quando o calor é transferido para o gelo, ele começa a derreter e necessitará de uma nova troca de bobinas. A equipe de enfermagem, responsável pelo monitoramento, deve receber treinamento especial e supervisão constante para manter o cumprimento das recomendações na manutenção da cadeia de frio. 

Leia também sobre monitoramento de produtos farmacêuticos

Como limpar corretamente as geladeiras

Toda vez que for realizar a limpeza de uma geladeira deve-se seguir esses passos:

  1. Ter uma caixa térmica com bobinas de gelo reutilizável para colocar os imunobiológicos da geladeira. A temperatura deve estar entre +2°C e +8°C. 
  2. Lembre-se de vedar as caixas com fita adesiva larga.
  3. Não mexer no termostato
  4. Desligar a tomada e abrir a porta da geladeira e congelador para que o gelo derreta. Evite usar objetos pontiagudos para agilizar a remoção.
  5. Limpe tanto interna quanto externamente com pano umedecido com água e sabão neutro. 
  6. Nunca jogue água no interior da geladeira. 
  7. Em seguida ligue a geladeira, recoloque o termômetro, garrafas e bobinas.
  8. Feche a porta e deixe assim até alcançar a temperatura ideal. 
  9. Ao chegar na temperatura reorganiza as vacinas. 

Você tem consciência sobre as regras e exigências de monitoramento de vacinas? O que pensa sobre isso? 

Fontes: http://www.reme.org.br/artigo/detalhes/181

https://www.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/enfermagem/refrigeradores-ou-geladeiras/27828

A Tecnologia e o Aumento da Expectativa de Vida

O aumento da expectativa de vida pode ser algo influenciado pela tecnologia? Certamente sim, é o que vem provado as pesquisas na área. Tratamento celular, transfusão de plasma e criogenia são algumas das evoluções que vêm sendo impulsionadas em pesquisas para burlar a morte – ou ao menos – aumentar a expectativa de vida dos seres humanos. 

Você sabia que a primeira pessoa que irá completar 1000 anos já nasceu? Parece surreal pensar que isso é possível no momento atual que vivemos, mas com os avanços tecnológicos essa hipótese está cada vez mais próxima da realidade. 

Essa frase foi declarada pelo cientista inglês Aubrey de Grey. Esse é um dos nomes à frente das pesquisas atuais que buscam aumentar o tempo de vida dos seres humanos. 

Com base em pesquisas realizadas na empresa Agex Therapeutics,  ele procura buscar evidências que comprovam que o envelhecimento humano é “curável”, uma vez que ele acredita que o problema do envelhecimento é físico e não biológico. 

Atualmente a pessoa mais idosa do mundo em vida é a japonesa Kane Tanaka, com 116 anos, nascida em 1903. A pessoa mais idosa já registrada pelo Guinness foi Jeanne Louise Calment, francesa que viveu até os 122 anos. O limite de vida humana, segundo pesquisa divulgada pela Nature em 2016, é de 125 anos. 

Calico investe em P&D de Biotecologia

A Calico é uma companhia independente de biotecnologia criada em 2013 pela Google. O seu objetivo declarado é o combate ao envelhecimento e às doenças associadas, além do aumento da expectativa de vida. A nova companhia é liderada pelo CEO Arthur Levinson, atual presidente da Apple e da Genentech.

A empresa tem a missão de aproveitar tecnologias avançadas para aumentar o entendimento da biologia que controla a vida. Procura usar esse conhecimento para planejar intervenções que permitam que as pessoas levem uma vida mais longa e saudável. 

A Calico vêm concebendo intervenções que promovam mais qualidade de vida. Existem alguns experimentos que são focados nas células e outros promovem estudos com sangue, inclusive é fato conhecido que milhões de norte-americanos vêm se submetendo a transfusões com alto custo de plasma jovem para evitar doenças degenerativas, como o mal de Alzheimer. 

Projetos financeiros para aumentar a vida

Esse assunto vem sendo amplamente discutido e já converteu em um grande negócio. Segundo o Bank of America, esse mercado tem movimentado US$ 110 bilhões em todo o mundo, incluindo áreas de cosméticos, terapias e remédios. A previsão é que até 2025 movimente US$ 610 bilhões. 

Algumas das maiores empresas de tecnologia estão investindo nessas inovações. Larry Ellison, CEO da Oracle, doava cerca de US$ 45 milhões todo ano por mais de 10 anos para combater o envelhecimento. O co-fundador do Paypal, Peter Thiel, doou US$ 6 milhões à Sens Foundation, que realiza pesquisas para aumento da expectativa de vida.

O co-fundador do Google, Sergey Brin, doou US$ 50 milhões para pesquisar doenças da terceira idade, incluindo Parkinson, supostamente depois que soube que estava em risco de desenvolver a doença.

A Alphabet investiu mais de US$ 730 milhões na Calico, com o único objetivo de estender a expectativa de vida humana.

E está funcionando, aqui estão algumas das mais recentes inovações:

  • As terapias gênicas demonstraram ser capazes de dobrar a expectativa de vida em camundongos, eliminando dois genes que podem estar conectados ao envelhecimento.
  • Outros cientistas estão procurando algumas “tecnologias de rejuvenescimento” que irá permitir que as pessoas se sintam mais jovens por mais tempo; alguns estão estudando a remoção de toxinas do corpo que acreditam contribuir para os problemas do envelhecimento.
  • Os cientistas também estão aprendendo a desenvolver peças de reposição para substituir aquelas que se desgastam. Membros robóticos, órgãos e tecidos impressos em 3D estão sendo desenvolvidos e até órgãos robóticos, como um pâncreas artificial que administra automaticamente medicamentos para controlar o diabetes.
  • Melhorias no diagnóstico e tratamento podem potencialmente gerar o aumento da expectativa de vida individual, incluindo pequenos sensores que podem detectar ataques cardíacos antes que eles ocorram, planos de diagnóstico e tratamento assistidos por IA, medicamentos e tratamentos personalizados para doenças complexas como o câncer.

Por que as pessoas envelhecem?

O processo natural de envelhecimento do corpo humano é chamado de senescência celular e acontece quando as células se multiplicam e começam a se degradar pelo corpo. Depois de passarem por esse processo inúmeras vezes, elas começam a apresentar problemas.

Um estudo publicado pelo The Hallmarks of Ageing em 2013 identifica que boa parte do processo de desgaste corporal acontece nas células. Para entender melhor isso, veja os processos internos que acontecem quando o corpo começa a envelhecer:

  • Encurtamento dos telômeros
  • Erros na expressão dos genes
  • Proteínas menos funcionais
  • Células que não morrem
  • Produção de energia falha
  • Comunicação ineficiente entre células
  • Metabolismo desbalanceado
  • Exaustão de células-tronco

Dados demográficos e previsões

Globalmente, a população de 65 anos ou mais está crescendo mais rápido do que todas as outras faixas etárias. Hoje, 1 a cada 11 pessoas viverá até os 65 anos ou mais. Em 2050, a previsão é que 1 a cada 6 pessoas viverá até os 65 anos ou mais. 

Para se ter uma ideia hoje, 143 mil pessoas têm 80 anos. Em 2050 essa população será de 426 mil. Em 2018, pela primeira vez na história, as pessoas com 65 ou mais ultrapassaram o número de crianças com menos de 5 anos.

A expectativa de vida vêm crescendo cada vez mais nas últimas décadas. Em 2017, a expectativa do brasileiro era até os 76 anos, conforme dados do IBGE. 

Isso é muito quando comparado a 1940, que a expectativa era até os 45,5 anos. Vemos que essa expectativa estava equivocada, uma vez que existem pessoas que nasceram nessa época que ainda estão vivas com seus 79 anos e, infelizmente, não têm a assistência necessária, uma vez que o país não previu e se preparou para isso. 

3 tecnologias para prolongar a vida humana

Transfusões de ‘sangue jovem’

Acredite ou não, existem empresas realizando pesquisas sobre os efeitos da transfusão de sangue de pessoas jovens e saudáveis ​​(especificamente aquelas entre 16 e 25 anos) em pessoas mais idosas.

Há rumores de que o co-fundador bilionário do PayPal, Peter Thiel, tem interesse nesse processo, especificamente relacionado a uma empresa iniciante chamada Ambrosia. Parece que os investimentos variam de 6.000 a 215.000 libras esterlinas e, embora os testes com ratos tenham mostrado que o sangue mais jovem revigora os indivíduos mais velhos, os testes em humanos tiveram menos sucesso.

Criogenia

Trata-se do congelamento em baixa temperatura de um corpo humano, com a esperança da ressuscitação no futuro. Atualmente, o procedimento custa em média US$ 80.000 para congelar a cabeça e US$ 200.000 para congelar o corpo todo.

Não são apenas os seres humanos que podem se beneficiar do processo de congelamento. O Cryonics Institute, por exemplo, oferece uma gama de opções para animais de estimação: 4.000 libras para gatos ou cães e até 760 libras para um pássaro de estimação. 

No entanto, apesar das enormes quantias de dinheiro investidas nessa área, a comunidade de pesquisadores em geral ainda considera isso uma pseudo-ciência. No entanto, existem várias empresas que oferecem o serviço, como a Alcor Life Extension Foundation, o Cryonics Institute, a Suspended Animation Inc. e o KrioRus.

Aqui no Brasil, a criogenia só é utilizada para preservar células-tronco do cordão umbilical e dos dentes de leite de crianças, com o objetivo de tratar doenças como anemia e leucemia. As células são mantidas a -196°C e são preservadas por tempo indeterminado.

Consciência digital

O próximo passo na consciência humana pode envolver o upload do cérebro humano para a nuvem, permitindo o aumento da expectativa de vida ou até mesmo a imortalidade. Essa é uma iniciativa da empresa de pesquisa Nectome, apoiada pelo MIT. 

Embora isso pareça algo muito remoto vindo de um filme de ficção científica, realmente vem sendo investido algum dinheiro nesse projeto, com cerca de 1 milhão de libras em financiamento e uma subvenção federal de 900.000 libras do Instituto Nacional de Saúde Mental dos EUA

Contradições ao aumento da expectativa de vida

Um estudo da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, divulgado em 2014 revela que 88,3% dos médicos preferem não serem submetidos a procedimentos de ressuscitação ou qualquer um relacionado ao prolongamento da vida, pois sabem dos fardos e riscos associados, que são maiores do que os benefícios. 

É uma área ainda que deve avançar muito em face de todos os avanços na área da saúde, assim como já aconteceu com a saúde 4.0, o IoT e outros debates e tendências atuais, mas que deve gerar muita polêmica, uma vez que certamente nem todos terão acesso a esses avanços, tornando-se uma questão social. 

Obviamente, o aumento da expectativa de vida média também tem outras implicações. Sugerir que pessoas que vivem com 100 – ou mesmo 200 – abandonem a força de trabalho aos 60 ou 70 anos parecerá absurdo. Se nossa expectativa de vida aumentar, mas nossa qualidade de fim de vida não acompanhar o ritmo, o mundo precisará de mais recursos para prestar atendimento a idosos por mais tempo.

Além disso, se a expectativa de vida aumentar consideravelmente como se acredita, os governos talvez necessitem implementar políticas de controle populacional (como a China fez) para garantir recursos suficientes para uma população em crescimento. Seguro, assistência médica e outras questões serão afetadas, à longo prazo.

A boa e a má notícia é que, embora seja provável que as melhorias continuem, as mudanças serão certamente incrementais e demoradas. O tratamento do câncer é um bom exemplo: na década de 1970, as chances de sobreviver a qualquer câncer por mais de cinco anos eram muito pequenas. Hoje, as taxas de sobrevivência de muitos tipos de câncer aumentaram muito, apesar de ainda não existir uma “cura” universal.

Portanto, embora seja improvável que exista uma “pílula mágica” que possamos tomar para reverter o envelhecimento ou viver para sempre, é extremamente provável que as tecnologias inovadoras de hoje estejam no caminho de nos ajudar a viver vidas mais longas, saudáveis ​​e produtivas.

Leia também esses artigos relacionados à tecnologia e saúde:

Fontes: https://tab.uol.com.br/edicao/futuro-da-morte#a-morte-mora-ao-ladohttps://www.forbes.com/sites/bernardmarr/2017/03/31/will-these-tech-innovations-help-us-live-forever/#9e3f2d54d0c5
https://www.forbes.com/sites/leebelltech/2019/06/30/5-ways-tech-could-keep-us-living-longer-health-innovations-the-rich-are-investing-in/#84c025234eb0

6 Benefícios do Sistema de Gestão Hospitalar

Existem várias razões pelas quais um hospital exige um sistema de gestão hospitalar para um eficiente gerenciamento. Desde garantir movimentos de funcionários contratados e listas de atividades, requisitos estatutários obrigatórios e de todas as listas importantes de certificação até a data de renovação, o sistema de gerenciamento do hospital pode cuidar de tudo isso com extrema precisão.

  1. Alcance pontuações de boa qualidade
  2. Melhore sua gestão financeira
  3. Evite erros através de rastreamento 
  4. Melhore as decisões clínicas
  5. Aumente a segurança dos dados
  6. Automatize a gestão hospitalar

A gestão hospitalar exige tomada de decisão o tempo todo, o que é extremamente difícil se não houver um sistema de gestão sólido que dê suporte. Como você precisa de uma implementação precisa em todas as etapas, o sistema de automação no hospital deve ser auto-suficiente.

Hoje, não é possível imaginar um hospital super especializado sem ele. Um sistema confiável, econômico e eficaz é a espinha dorsal do sucesso de um centro médico. Existem vários benefícios na instalação de um sistema de gestão hospitalar completo. Confira os principais abaixo!

1- MelhorA Das classificações de qualidade

Quando o seu hospital deseja estar entre os hospitais preferidos e com as melhores classificações das seguradoras, não há como escapar do sistema de gestão hospitalar. 

Trata-se de um dos indicadores críticos de qualidade. Um hospital capaz de enviar e receber informações do paciente e relatórios médicos eletronicamente sempre obtém uma preferência maior do que outros hospitais atrasados nesse sentido.

Um bom sistema de gestão hospitalar irá trazer mais relevância, credibilidade e confiança ao seu centro médico ou hospital, o que será visto como um diferencial dos concorrentes, pois agrega valor e melhora a sua reputação no mercado.

2- Melhor gerenciamento de receita

Um hospital ou centro médico serve aos pacientes, mas a lucratividade é um aspecto igualmente importante, porque não deixa de ser um negócio. O gerenciamento de receita é um elemento-chave, pois requer uma fortuna para administrar um hospital e é impossível rastrear todo o hospital usando sistemas manuais antigos e obsoletos. 

O sistema automatizado de gerenciamento hospitalar, adaptado de acordo com os requisitos comerciais, pode resolver isso de maneira eficaz, uma vez que oferece relatórios transacionais e de gerenciamento rápidos e precisos que dão uma estimativa de como os negócios estão indo. Quais são as faturas pendentes, dívidas em abertos e necessidades?

Além disso, há uma redução nos custos operacionais devido à alta eficiência operacional. Quando sistemas e processos são automatizados, menos recursos são necessários para gerenciar operações. Assim, é possível obter um ROI (Retorno Sobre Investimento) aprimorado e um ponto de equilíbrio rápido.

3- redução de erros

Como afirmado anteriormente, gerenciar hospital é uma uma tarefa muito difícil, onde não há margem para erros. Sistemas mais antigos ou que lidam com muitas ferramentas manuais, em que é necessário a atualização constante da equipe pode apresentar erros frequentemente.

Agora, a instalação de um sistema de gerenciamento automatizado elimina completamente a chance de erro e você evita problemas de conformidade e procedimentos legais, os dois maiores problemas para centros médicos e hospitais. Assim, apesar de um alto investimento inicial, é um bom negócio. 

Além disso, o rastreamento dos ativos do hospital traz informações importantes sobre ocupação da sala, disponibilidade da equipe e informações operacionais a qualquer momento.  

4- Melhor tomada de decisão clínica

Um sistema de gerenciamento de boa qualidade garante que o processo de tomada de decisão operacional e clínica seja rápido, preciso e eficiente. A disponibilidade fácil e simples de visualização de pontos de dados, documentos e equipe de suporte médico é facilitada.

5- MAIS segurança dos dados

Especialistas já demonstraram como hospitais que dependem do sistema manual são mais vulneráveis ​​ao roubo e vazamento de dados do que os automatizados. Um sistema de gerenciamento hospitalar completo mantém todas as informações protegidas contra acesso não autorizado e isso será cada vez mais exigido com a implementação da LGPD (Lei de Proteção de Dados). 

É igualmente importante que você implemente um sistema de última geração com controles centralizados e não um sistema caseiro independente. Quando tudo é tratado por um sistema controlado por acesso, em que a disponibilidade de informações depende dos direitos do usuário, não há possibilidade de erro. 

Essa é a razão pela qual clínicas de saúde, hospitais, centros de traumatologia, centros de reabilitação e lar de idosos estão instalando sistemas de gestão de alta qualidade.

6- mais avanço tecnológico

Quando um hospital é administrado pelo sistema de gestão hospitalar da nova era, ele se estabelece como um centro médico moderno e tecnologicamente capacitado.

É altamente importante no mundo moderno e extremamente competitivo que seu hospital tenha uma boa reputação e seja visto como um ambiente que acompanha os avanços tecnológicos, procura se modernizar, oferecer mais conforto e otimizar processos internos que beneficiam tanto pacientes quanto colaboradores. 

Leia também sobre tecnologia nos hospitais e como elevar o atendimento do seu hospital.

Hoje, as pessoas confiam mais em sistemas computadorizados do que em sistemas manuais. Além disso, é possível manter a conectividade com os pacientes e o sistema periférico se as operações forem gerenciadas usando sistemas automatizados.

Com o avanço da tecnologia da informação nos últimos anos, houve uma mudança revolucionária nos sistemas de automação e gerenciamento disponíveis para hospitais. 

Além de lidar com problemas operacionais através dos módulos de automação comercial, eles também oferecem um Sistema de Informações Gerenciais Inteligentes. Um módulo livre de erros e bem organizado é uma necessidade que se torna urgente na área médica. 

Esses softwares hospitalares são capazes de fornecer um ambiente melhor combinado entre funcionários do hospital, médicos, grupos e pacientes, além de gerenciar fluxos de trabalho. As soluções conseguem monitorar e rastrear todo o seu hospital e lidar com inúmeras solicitações de usuários, resultando em um fluxo mais fluído e integrado de informações entre equipes, médicos e pacientes.

O que você acha que a tecnologia pode fazer pelo seu hospital? Vamos bater um papo sobre isso? A Biocam pode te ajudar!

Monitoramento de Produtos Farmacêuticos: Portaria 802/98 da Anvisa

Os produtos farmacêuticos necessitam de um monitoramento constante, seja durante o transporte ou a armazenagem. Quando falamos de monitoramento dos produtos farmacêuticos, um dos itens mais importantes é a temperatura. 

A distância do trajeto, duração do deslocamento, quantidade de volumes, carregamento e descarregamento dos produtos pode interferir na eficácia de um medicamento devido à oscilação da temperatura. 

A Anvisa, com o objetivo de regulamentar aprovou a revisão da Portaria 802/98 para garantir a qualidade dos medicamentos pelas distribuidoras e transportadoras. A revisão da Portaria visa prover maior controle e rastreabilidade na cadeia, de forma a garantir a qualidade dos medicamentos durante as etapas de distribuição, armazenamento e transporte. 

Conforme descrito no artigo 2, essa lei se aplica às empresas que realizam atividades de distribuição, armazenagem ou transporte de medicamentos. 

Segundo artigo 7, as empresas envolvidas na atividade de distribuição devem se abastecer exclusivamente de medicamentos adquiridos diretamente das empresas detentoras do registro e devem fornecer apenas às empresas autorizadas e licenciadas à dispensação de medicamentos. 

Outras disposições sobre a Portaria você pode consultar aqui

Garantia da Qualidade e Boas Práticas

Uma novidade da proposta é a implementação do Sistema Garantia da Qualidade e princípios de Boas Práticas na distribuição e transporte de produtos farmacêuticos, o que mostra um grande avanço na gestão da qualidade e controle da temperatura.

Essa mudança é importante para o Brasil, pois os processos de armazenamento, distribuição e transporte de produtos farmacêuticos estão presentes desde o fornecimento da matéria-prima até a distribuição do produto acabado. Isso significa que, todas as etapas que envolvem a cadeia produtiva e de distribuição devem cumprir todas as legislações, para manter a eficácia e qualidade dos medicamentos para o consumidor final.

Nesse processo, o farmacêutico tem a responsabilidade de garantir o correto gerenciamento da logística de transporte e distribuição de medicamentos.

Ou seja, ele tem o importante papel de fazer a legislação sanitária ser cumprida, liberar produtos aos estabelecimentos apenas licenciados por órgãos sanitários, manter o manual de boas práticas de distribuição e armazenagem, além de supervisionar as etapas de recebimento, armazenagem e expedição dos produtos farmacêuticos.

Solução de monitoramento de temperatura de produtos farmacêuticos

O I-Vigilant é um sistema de monitoramento desenvolvido pela Biocam que oferece essa qualidade, uma vez que é precisa no monitoramento de temperatura.

Em caso de qualquer irregularidade, o sistema envia um alerta por e-mail, SMS, What’s App, Telegram ou até mesmo impresso com assinatura digital. É possível programar o envio de relatórios estatísticos, medições agrupadas para acompanhamento constante. O sistema funciona 24 horas por dia. 

A tecnologia monitora precisamente a umidade, temperatura, pressão atmosférica e abertura de portas. Também é possível monitorar o CO2, luminosidade e poeira em um único software. Veja mais sobre o I-Vigilant aqui.  

Benefícios da Portaria 

  • Avanço na cadeia de distribuição, armazenagem e transporte de fármacos.
  • Criação de sistemas de qualidade internos nas empresas envolvidas
  • Introdução dos requerimentos de Qualificação e Validação
  • Diretrizes claras de boas práticas

Você monitora a temperatura dos fármacos? Entre em contato para saber da nossa solução. 

Biocam participa do 2º Encontro Científico BEB neste final de semana

Encontro visa promover discussão sobre endoscopia bariátrica entre médicos nacionais e internacionais

Biocam participa do 2º Encontro Científico BEB – BARIATRIC ENDOSCOPY BRAZIL nos dias 20 e 21 de setembro. O evento visa trazer mais informação sobre endoscopia bariátrica e promover uma discussão entre especialistas nacionais e convidados internacionais. Mais de 150 médicos participarão do evento. 

A Biocam irá participar hoje (20/09) e sábado (21/09), das 08h às 18h com a exposição do SICO 2 e fará uma demonstração do equipamento em 3 salas cirúrgicas. O SICO 2 é um sistema capaz de insuflar apenas o gás CO2 nos exames, reduzindo o desconforto do paciente.

O sistema possui um fluxômetro de precisão, calibrado para trabalhar com baixa pressão, garantindo o fluxo necessário para o exame sem causar danos ao endoscópio.

Benefícios do SICO 2

  • O CO2 é naturalmente absorvido pelas células do sangue e a excreção realizada na expiração.
  • Estudos realizados mostram que não existe retenção de CO2 no paciente, sendo dispensável o uso de capnógrafo.
  • Diminui de 24 horas para 2 horas o desconforto pós-exame.
  • Otimiza o tempo dos processos da equipe de enfermagem.

Conteúdo Programático do Evento

  • Procedimentos Endoscópicos para Tratamento da Obesidade
  • Balão Intragástrico
  • Gastroplastia Endoscópica
  • Revisão de Endosutura Gástrica
  • Tratamento Endoscópico de Refluxo pós-bariátrico
  • Tratamento Endoscópico da Diabetes
  • Plasma de Argônio

Convidados Internacionais do Evento

Dr. André Teixeira – Orlando, Estados Unidos da América / Orlando Health
Dr. Gontrand Lopez Nava – Madri, Espanha / Madrid International Bariatric Endoscopy
Dr. Harris Khwaga – Oxford, Inglaterra / IBC – International Bariatric Club – University of Oxford
Dr. Marco Silva – Porto, Portugal / Universidade do Porto
Dr. Natan Zundel – Miami, Estados Unidos da América / International Flórida University

Sobre a Endovitta

O Instituto EndoVitta é uma organização médica, com foco no combate da obesidade adulta e infantil. Tem como objetivo o bem social e busca o melhor tratamento médico para cada paciente e sua patologia. 

Oferece uma infra-estrutura que dá todo o suporte necessário para o melhor resultado possível no tratamento. Conta com uma equipe médica, altamente qualificada e atualizada no constante desenvolvimento da medicina moderna e nas pesquisas clínicas e científicas em nível mundial.

Tem um corpo clínico composto de todas as especialidades necessárias e vinculadas ao tratamento do paciente, facilitando o desempenho do mesmo para obter o resultado desejado com o tratamento.

Para se inscrever, acesse aqui. Confira também o conteúdo programático completo