Santa Casa de Valinhos implementa IoT em UTI

A Santa Casa de Valinhos, localizada no interior do estado de São Paulo, está implementando um projeto de identificação e localização dos equipamentos de sua UTI com o uso de beacons – dispositivos que emitem sinais que são captados por antenas conectadas à uma central de controle, responsável por conferir e armazenar os dados em um servidor. Essa iniciativa, que começou em agosto de 2017, sem custo para a instituição, foi realizada em parceria com as empresas Taggen Soluções IoT e Biocam Equipamento Médico-hospitalares.

 

Todos os dados coletados por meio dos beacons são integrados a um sistema de Engenharia Clínica, para que sejam analisados pelo Watson da IBM, otimizando assim os recursos do hospital.

O superintendente da instituição, Edson Manzano, explica que o projeto surgiu da necessidade de atualizar o inventário, monitorar os deslocamentos e localizar os dispositivos. “O sistema de rastreamento em tempo real dificulta desvios e furtos, facilita a localização dos equipamentos para o atendimento do paciente, diminui alguns custos de manutenção e agiliza as auditorias dos ativos. Substitui controles que, até então, eram feitos manualmente. Conseguimos otimizar melhor os nossos recursos”, destaca Manzano. Entre os equipamentos rastreados estão os monitores cardíacos, bombas de infusão e o eletrocardiográfico. A implantação desse projeto de IoT permite atender as normas vigentes de inventários anuais e também a manutenção do certificado ONA (Organização Nacional de Acreditação), que avalia a qualidade dos serviços de saúde.

De acordo com o superintendente, esse novo recurso vai ao encontro da meta de estabelecer uma gestão transparente e com melhorias contínuas, aspectos fundamentais para o aprimoramento da administração de uma Santa Casa – hospital filantrópico e sem fins lucrativos, que precisa maximizar o direcionamento dos repasses recebidos dos órgãos públicos e as doações.

“Os beacons são pequenos dispositivos IoT com tecnologia BLE (bluetooth low energy) que, entre outras funcionalidades, permitem compor soluções de detecção de objetos em ambientes internos a um custo acessível”, destaca Werter Padilha, CEO da Taggen. Esses pequenos tags ativos – que no modelo à bateria podem durar vários anos -, são colocados nos equipamentos médicos e enviam os sinais para leitores (gateways IoT) instalados nas dependências internas do estabelecimento.

O CEO da Biocam, Rogério Ulbrich complmenta. “Os leitores detectarão os beacons atrelados aos ativos e enviarão essas informações através de uma rede wi-fi, para nosso serviço em nuvem, responsável por mapear a localização em tempo real de cada objeto no hospital, e disponibilizar a informação a administração ou corpo médico com a criticidade e agilidade exigida.”

De acordo com o hospital, Diante do sucesso dessa iniciativa, a próxima meta será ampliar o projeto para os equipamentos do Pronto Socorro e Centro Cirúrgico, acompanhados dos demais recursos técnicos. Isso deverá ocorrer ainda nos primeiros meses de 2018 com a expectativa de monitorar mais de 130 equipamentos, com resultados positivos no atendimento à população.

Como resultado da implementação, o hospital passou a ter maior controle de movimentação dos equipamentos além do aumento na segurança e redução de custo operacional, devido ao menor tempo para se localizar um equipamento ocioso. Houve também a redução de custos associados com infra-estrutura para equipamentos que não deveriam ser movimentados e a utilização das informações geradas para a realização de melhorias nos seus processos logísticos internos.

Biocam e Genesis levam novas tecnologias com Inteligência Artificial (IoT) para a Hospitalar 2018

Maior feira do setor acontece entre os dias 22 e 25 de maio, no Center Norte, em São Paulo

Campinas, 26 de abril de 2018 – A Biocam Equipamento Médico Hospitalar e a Genesis – empresa de sistemas de inteligência artificial com soluções de Sistemas de Engenharia cognitiva em nuvem e foco na saúde –, instaladas em Campinas (SP), estarão juntas na Hospitalar 2018, a maior feira de negócios do setor, que acontecerá entre os dias 22 e 25 de maio, no Center Norte, em São Paulo. Em dois estantes, as duas companhias, parceiras em vários projetos, apresentarão aos visitantes seus produtos e sistemas de última geração, criados com tecnologia de Inteligência Artificial (IoT). Entre os destaques estão o IVigilant, Atria, Criquet e o Sico2.

IVigilant, utilizado com o software de Engenharia e Gestão Genesis, é um aparelho de monitoramento remoto e autônomo do edifício hospitalar. Utilizando tecnologias como Cloud e o IBM Watson, o IVigilant faz todo o trabalho de monitoramento de redes de gases medicinais, temperaturas, presença, luminosidade, fumaça, poeira e mais 10 parâmetros físicos, de forma assertiva. Com o IVigilant, o usuário passa a ter uma central de controle, recebendo alertas em tempo real por e-mail e pelo SMS.

IVigilant também permite às equipes técnicas e médicas controlar a temperatura do ambiente, do ar-condicionado e da energia do ambiente, além de evitar a entrada de poeira no ambiente, mantendo a sala limpa e fora de riscos. Atualmente, este equipamento está em operação em vários hospitais do Brasil, dentre eles o Instituto do Coração (Incor), na versão IVigilant-V (que controla temperatura e abertura de portas das câmaras de conservação de amostras laboratoriais e tecidos humanos), no Centro de Pesquisa Prof. Dr. Fúlvio Pileggi e no Centro de Atenção Integral  à Saúde da Mulher (CAISM) da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), com o modelo IVigilant-P, para controle de gases medicinais.

Outro equipamento que o público poderá ver de perto é o Atria, desenvolvido para realizar Gestão de chamadas entre paciente e enfermeira. Com o Atria, o hospital consegue melhorar a comunicação, através de conexão integrada sem fio, com solução visual e comunicação viva voz por tecnologia VOIP (voz sobre IP). Através do monitoramento de cada chamada e da visita de cada colaborador no leito é possível melhorar a gestão de leitos, evitar desperdícios e atender os padrões nacionais e internacionais de qualidade, exigidos pela Organização Nacional de Acreditação (ONA) e JCI Joint Commission International, que são organismos de acreditação do sistema de qualidade dos hospitais.

Ainda seguindo o desenvolvimento de IoT (sigla em inglês para internet das coisas), a Biocam vai apresentar a solução Criquet Beacon e Criquet RFID, que rodam com o sistema Genesis. Os beacons são pequenos dispositivos IoT, com tecnologia BLE (bluetooth low energy) que, entre outras funcionalidades, permitem compor soluções de localização em tempo real de equipamentos e pessoas em ambientes internos a um custo acessível. Os dispositivos são colocados nos equipamentos médicos ou em crachás ativos e enviam os sinais para leitores (antenas IoT) instalados nas dependências internas do estabelecimento.

Esta nova tecnologia, já em uso pela Santa Casa de Valinhos de forma integrada ao Sistema de Engenharia Cognitiva Genesis, permite aos médicos e gestores identificarem, em tempo real, qual o estoque de cada produto e onde se encontra cada equipamento – patrimônio – dentro da instituição hospitalar. Com isso, o hospital ganha tempo na localização dos aparelhos e reduz desperdício, uma meta cada vez mais necessária para uma gestão eficiente.

O Sico2 – Sistema de Insuflação de CO2 é um equipamento utilizado em exames de colonoscopia e gastroplastia. O CO2 (dióxido de carbono) possui fácil absorção pelos tecidos internos do organismo. O Sico2 tem a vantagem de diminuir o desconforto pós-exame, de 24h para duas horas. Para os hospitais e clínicas médicas, este aparelho otimiza o tempo do paciente na recuperação pós-exame, reduzindo filas e aumentando a realização de exames em menor tempo.

A Válvula Max-V Plus é utilizada para regulação de gases medicinais dentro dos hospitais. Trata-se de um exclusivo sistema de fechamento rápido, com leitura a distancia, com capa emborrachada e ideal para uso em posto com fluxo acima de 200l/min.

A Biocam Equipamento Médico Hospitalar ocupara o estande da Associação de Fornecedores de Saúde (AFS) na Rua 13 – 70 Verde, com seus equipamentos de infraestrutura Hospitalar. No espaço reservado para tecnologia hospitalar, na Rua 20-71 Vermelho, a Biocam e a Genesis estarão expondo o Sistema Genesis com Inteligência Artificial um sistema totalmente cognitivo integrado com os dispositivos IoT (internet das coisas) da Biocam.  Neste espaço o visitante poderá interagir com o Criquet Beacon,  e conhecer sua funcionalidade.

SOBRE A BIOCAM

Fundada em 1999, a Biocam, tem sede na cidade de Campinas (SP) e está presente em todo o território nacional. A alta tecnologia associada a excelência na qualidade dos produtos e serviços geram confiança e, conseqüentemente, fidelização dos clientes.

A Biocam é referência nacional no desenvolvimento de equipamentos médicos hospitalares inovadores. É especializada no desenvolvimento de sistemas para gestão hospitalar, além de possuir um corpo técnico altamente qualificado, recebendo treinamentos constantes oferecidos pelos fabricantes.

SOBRE A GENESIS

Criada há cinco anos e sediada em Campinas (SP), a Genesis é uma Empresa de sistemas com Inteligência Artificial e soluções de Sistemas de Engenharia  com Inteligência Artificial em nuvem, além de parceira de negócios licenciada da IBM, com foco na saúde.

A Genesis é especializada em Sistemas de Engenharia Clínica, Hospitalar, Calibração RBC, Projetos, IoT, BI e Inteligência Artificial para empresas e instituições de Saúde Públicas e Privadas. Através do Sistema de Engenharia Cognitivo com Inteligência Artificial Integrada em todos os processos de Gestão da Engenharia Clinica e Hospitalar, seu sistema permite o controle e gestão estratégica dos equipamentos e infraestrutura médica hospitalar, levando a gestão a nível estratégico.

Legenda da foto: IVigilant (Esquerda) e o Criquet Beacon (direita): dois produtos da parceria Biocam e Genesis,

que serão apresentados na Hospitalar 2018

(Crédito: Divulgação)

Empresas de Campinas são referências na criação de soluções de Internet das Coisas para a área de saúde

Campinas, 06 de abril de 2018 – A Internet das Coisas (IoT) já é mais que uma realidade no Brasil. Esta nova tecnologia, ainda recente e pouco conhecida pela maioria das pessoas no País, tem com principal objetivo conectar dispositivos e aparelhos eletrônicos do dia a dia à internet, de modo que elas possam interagir com outras “coisas”, como computadores, Smartphones, sensores, entre outros equipamentos.

À frente desta revolução que caminha aceleradamente no Brasil está o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPqD), principal centro de pesquisa nacional no segmento, responsável pelo desenvolvimento da plataforma aberta dojot, com o objetivo de acelerar a criação de aplicações de Internet das Coisas (IoT). Esta plataforma está ganhando uma nova versão, que recebeu o nome de Aikido. O lançamento foi anunciado no evento dojot IoT day, que aconteceu em Campinas no último dia 5 de abril, nas instalações do CPqD, durante o qual foram apresentados os novos recursos da plataforma.

“O desenvolvimento da dojot continua, com foco nas demandas do mercado e do ecossistema voltado à oferta de soluções IoT”, afirma Maurício Casotti, responsável de marketing da dojot no CPqD. “Nesse sentido, a versão Aikido reforça os três pilares que orientaram a criação dessa plataforma: facilidade de uso, rapidez no desenvolvimento de aplicações e segurança na implantação”, acrescenta.

O evento, que reuniu especialistas e empresários de todo o País, contou com várias palestras e apresentações de cases de sucesso. Uma delas foi com o Mário Paiva, da Taggen, empresa brasileira que desenvolve soluções em IoT, que falou sobre um produto que desenvolveu em parceria com o próprio CPqD e as empresas Biocam Equipamento Médico  Hospitalar e Genesis – desenvolvedora de software e soluções de Sistemas de Engenharia com artificial em nuvem com foco na saúde.

Através dessa parceria de três empresas de Campinas nasceu o Criquet Beacon. Os materiais, equipamentos e pessoas de hospitais e ambientes médicos são conectados por um dispositivo que emite sinais captados por antenas conectadas a uma central de controle, permitindo o monitoramento em tempo real de tudo dentro do hospital – dos colaboradores, pacientes, equipamentos e materiais médicos espalhados por vários ambientes.

“Os beacons são pequenos dispositivos IoT com tecnologia BLE (bluetooth low energy) que, entre outras funcionalidades, permitem compor soluções de detecção de objetos em ambientes internos a um custo acessível”, destaca Werter Padilha, CEO da Taggen.  Os dispositivos são colocados nos equipamentos médicos e enviam os sinais para leitores (gateways IoT) instalados nas dependências internas do estabelecimento.

Segundo Rogério Ulbrich, CEO da Biocam, o Criquet Beacon capta todos os dados que são integrados ao sistema Genesis de Engenharia Clínica para que sejam analisados pelo Watson, plataforma de inteligência cognitiva da IBM. “Praticamente montamos um centro de controle dos equipamentos e materiais médicos dentro da unidade hospitalar”, explica o empresário.

Esta nova tecnologia permite aos médicos e gestores saber em tempo real qual o estoque de cada produto e onde se encontram cada equipamento – patrimônio – dentro da instituição hospitalar. Com isso, os hospitais ganham tempo com a localização dos aparelhos e ainda reduz desperdícios com produtos e recursos financeiros, uma meta cada vez mais necessária para uma gestão eficiente.

IoT

Uma interface de operação mais intuitiva e a visão da distribuição dos dispositivos em um mapa são alguns dos novos recursos que, segundo Casotti, tornam a dojot Aikido ainda mais fácil de usar. Além disso, ele destaca a atualização dos dados de exibição em tempo real, a visão de alarmes da plataforma e a possibilidade de integração com o CPqD Billing, para facilitar a cobrança em modelos de negócios complexos dentro do ecossistema IoT.

Já funcionalidades como gerenciamento de templates de dispositivos, de atualizações de firmware e suporte à atuação em dispositivos (para configuração e envio de comandos a partir da plataforma) são recursos que tornam a nova versão da dojot ainda mais rápida para desenvolver aplicações IoT.

O lançamento da nova versão  faz parte da estratégia do CPqD de dar suporte à evolução e ao aperfeiçoamento constante da plataforma dojot, que tem como foco o estímulo à inovação aberta e à construção de um ecossistema voltado para a oferta de soluções IoT adequadas à realidade brasileira.

A dojot Aikido já está disponível no portal www.dojot.com.br, pelo qual os interessados podem obter seu código e também a documentação sobre como utilizar os componentes, a interface, etc.

Legenda da foto: Mário Paiva (Taggen), Rogério Ulbroch (Biocam) e João Galdino (Genesis), durante a apresentação do case do Criquet Beacon no evento do CPqD