iot

IoT na Saúde: tecnologia e evolução nos hospitais

O IoT na área da saúde pode trazer importantes evoluções e desenvolvimentos significativos quando se fala em aumentar a eficiência de processos, trazendo mais tranquilidade para funcionários e qualidade de vida aos pacientes.

A automação e informatização de processos traz não só mais eficiência, mas também mais segurança dos processos.

O IoT, quando bem aplicado, pode impactar nos custos e melhorar os resultados de uma organização, além de oferecer uma experiência mais satisfatória e humanizada ao paciente.

  1. Reduzir tempo de espera na sala de emergência

Os pacientes podem esperar horas em salas de emergência. Graças a um engenhosidade recente e à IoT, pelo menos um hospital – o Monte Sinai Medical Center, em Nova York – reduziu efetivamente os tempos de espera para 50% dos pacientes de emergência que precisam de internação.

Resultado de uma parceria com a GE Healthcare e o novo software impulsionado pela IoT, conhecido como AutoBed, o sistema monitora a ocupação entre 1.200 unidades e fatores em 15 métricas diferentes para avaliar as necessidades de pacientes individuais.

É um sistema altamente eficaz que destaca alguns dos usos mais inovadores e empolgantes da IoT.

  1. Saúde e Monitoramento Remoto

Em alguns casos, os pacientes nem precisam visitar um pronto-socorro ou hospital. Uma das aplicações mais óbvias e populares dos serviços de saúde e da IoT é o monitoramento remoto da saúde – às vezes conhecido como telessaúde.

Não só minimiza custos e elimina a necessidade de algumas visitas, mas ajuda a melhorar a qualidade de vida do paciente, poupando-lhes o inconveniente da viagem.

Se um paciente tem mobilidade limitada ou depende de transporte público, algo tão simples como isso pode fazer total diferença.

  1.  Disponibilidade e acessibilidade de hardware

Os hospitais modernos precisam de software e hardware de última geração para funcionar. Como todos os dispositivos eletrônicos, esse equipamento é propenso a inúmeros riscos – de quedas de energia a falhas do sistema – que podem ser uma questão de vida ou morte.

Uma nova solução da Philips, baseada na IoT, chamada e-Alert, visa resolver esse problema.

Ao invés de esperar que um dispositivo falhe, o novo sistema da Philips adota uma abordagem proativa, monitorando virtualmente o hardware médico e alertando os funcionários do hospital se houver algum problema.

A Philips recentemente revelou o produto através de um esforço colaborativo com a OpenMarket.

O Ivigiltant é um exemplo aqui no Brasil de um sistema eficiente nesse sentido, que monitora continuamente e em tempo real multiparâmetros como: temperatura, abertura de portas, pressão da rede de gases medicinais, consumo de gases medicinais, umidade, pressão positiva, ambiente crítico, maquinário industrial etc.

A aplicação do Sistema IVigilant é mais ampla do que podemos imaginar. O que o torna um produto diferenciado pelo seu potencial de utilização.

Composto por um módulo microprocessado autônomo que monitora armazena e processa alarmes em tempo real, permite a configuração de regras de atuação e conexões e tem baixo consumo de energia.

Ele envia relatórios automatizados de conformidade a qualquer momento. Essa gravação automática melhora os processos de fluxo de trabalho e garante a proteção dos ativos valiosos. O sistema também emite alertas quando as medições são detectadas acima ou abaixo dos parâmetros definidos.

  1. Rastreabilidade e localização de ativos

A segurança é a maior preocupação de qualquer hospital ou instituição médica. É difícil manter o máximo de segurança sem a capacidade de rastrear ativos – funcionários, pacientes e hardware de todo o edifício.

É uma tarefa que é facilmente alcançada em instituições menores, mas e as instalações maiores que apresentam várias estruturas e campus, além de milhares de pacientes e funcionários?

Muitas unidades estão recorrendo aos sistemas de localização da IoT e em tempo real para facilitar o rastreamento de ativos. Não é apenas um método barato de monitorar as atividades diárias em um ambiente hospitalar, mas é discreto, eficaz e de ponta.

O Criquet é um sistema que funciona nesse sentido, uma vez que localiza instantaneamente cada ativo em tempo real com facilidade. O sistema Criquet é indicado para rastreabilidade inteligente de ativos, pessoas, recém nascidos e ambulâncias em tempo real.

O sistema pode utilizar tecnologias como: BLE – Bluetooth-Low-Energy, UWB UltraWideBand, e RFID – UHF Passivo.

Os dados monitorados pelo Criquet podem ser integrados com sistemas de engenharia ou ERPs para obtenção das informações por parte da equipe e mais facilidade na logística.

  1. Gerenciamento eficiente de medicamentos

Um dos avanços mais emocionantes de IoT na área da saúde vem em novas formas de medicação por prescrição.

Parece um trabalho de ficção científica – mas pílulas contendo sensores microscópicos do tamanho de um grão de arroz podem enviar um sinal para um dispositivo externo – geralmente um adesivo usado no corpo, para garantir dosagem e uso adequados.

Tal informação pode ser importante para garantir que os pacientes se lembrem de tomar suas prescrições e até mesmo quando se trata de prescrição de medicamentos futuros.

Os pacientes também têm acesso às informações, através de um prático aplicativo de smartphone, para acompanhar seu desempenho pessoal e melhorar seus hábitos.

  1. Controle de doenças crônicas

Problemas de saúde recorrentes nunca são empolgantes, mas grandes avanços estão sendo feitos no tratamento de tais questões – e muito disso é um resultado direto da IoT.

Não há uma inovação ou um dispositivo que ajude a tratar doenças crônicas no século 21 – é a combinação de tecnologia, análise da próxima geração e conectividade móvel.

Utilitários como a Fitbit usam a IoT para monitorar a saúde pessoal – essas informações podem ser compartilhadas com um médico para ajudar a resolver problemas recorrentes.

Uma empresa chamada Health Net Connect estabeleceu recentemente um programa de gestão de população diabética com o objetivo de melhorar o tratamento clínico e reduzir os custos médicos para os pacientes – e eles já produziram alguns resultados interessantes.

 

Fontes: https://blog.iclinic.com.br/exemplos-de-iot-na-area-da-saude/

https://www.iotforall.com/exciting-iot-use-cases-in-healthcare/

https://econsultancy.com/internet-of-things-healthcare/

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *