Como Melhorar a Gestão da Qualidade e Segurança do Paciente?

gestão da qualidade e segurança do paciente

A gestão da qualidade e segurança do paciente também é um componente essencial do direito à saúde e o caminho para oferecer mais qualidade de vida aos pacientes. Qualquer hospital deve se preocupar em oferecer serviços de saúde excepcionais que atendam aos critérios de qualidade.

O que é qualidade de atendimento? 

Os cuidados de saúde devem ser seguros, eficazes, oportunos, eficientes, equitativos e centrados nas pessoas.

  • Seguro: Prestação de cuidados de saúde que minimizem riscos e danos aos usuários do serviço, incluindo lesões ​​e erros médicos.
  • Eficaz: Prestação de serviços baseados em conhecimento científico e diretrizes baseadas em evidências.
  • Oportuno: Reduzir atrasos na prestação e recebimento de cuidados de saúde.
  • Eficiente: Prestar assistência médica de forma a maximizar o uso de recursos e evitar desperdícios.
  • Equitativo: Prestação de cuidados de saúde que não difere em qualidade, de acordo com características pessoais, como sexo, raça, etnia, localização geográfica ou status socioeconômico.
  • Centrado nas pessoas: Prestar cuidados que levem em conta as preferências e aspirações dos usuários individuais do serviço e a cultura de sua comunidade.

Cuidados de qualidade para todos os pacientes 

Ir ao hospital pode ser estressante. Os pacientes e seus parentes podem estar preocupados com uma doença, com o tempo de recuperação ou com o custo de um procedimento. Sabemos que os pacientes precisam ter informações confiáveis ​​sobre o nível de atendimento que um hospital oferece para tomar as melhores decisões possíveis. Os dados de qualidade devem estar acessíveis para todo e qualquer paciente para aumentar o nível de transparência e melhorar a relação com os clientes.

Monitoramento e relatórios de qualidade 

Pacientes conhecem um atendimento de qualidade quando o experimentam. O tempo de resposta de uma enfermeira, a posição da cabeceira, a atmosfera do hospital – todas essas coisas interferem na percepção que um paciente tem em relação ao seu hospital e os cuidados com a saúde.

Quando os hospitais falam sobre qualidade, geralmente se referem a dados clínicos muito específicos coletados e analisados ​​ao longo de um período de tempo. A medição da qualidade nem sempre é fácil. Diferentes agências e grupos têm maneiras diferentes de relatar resultados clínicos que podem afetar a maneira como classificam um hospital com uma determinada medida de qualidade. 

Os sistemas de relatórios também podem ser pesados ​​ou caros, tornando as classificações ainda mais difíceis. Hoje, existem limites para o número de condições, tratamentos e procedimentos que são relatados e monitorados, mas à medida que os sistemas e métodos de dados vêm melhorando com a Internet das Coisas, mais e mais informações estão facilmente disponíveis.

Os dados de qualidade mostram quão bem um departamento ou instituição alcança os resultados de saúde desejados para um procedimento específico, geralmente acompanhando a proximidade com que a equipe clínica atende aos padrões de atendimento. 

Reflita:

  • Medir dados de qualidade permite observar onde o hospital está acertando e onde precisa melhorar.
  • Sua organização possui iniciativas de segurança ou uma cultura de segurança?
  • A implementação de várias iniciativas de qualidade e segurança pode parecer um progresso, mas não altera significativamente o número de vidas salvas ao longo do tempo. É admirável reduzir as infecções da corrente sanguínea associadas à linha central na UTI em 80%, mas não é suficiente.

Para atingir metas corporais de segurança, uma organização deve criar uma cultura de segurança. E, dada a complexidade da maioria dos sistemas de saúde, bem como a liderança rotativa e a alteração dos sistemas, isso não é fácil. Uma melhor comunicação e liderança forte e consistente, além de sistemas de saúde 4.0 eficientes podem ajudar seu hospital a crescer e se tornar referência em gestão da qualidade e segurança do paciente.  

Posicionamento diante de dificuldades

Uma gestão da qualidade e segurança do paciente assertiva tem tudo a ver sobre como você lida com os problemas do seu hospital. Diante de uma dificuldade, você entra em pânico ou você consegue administrar os problemas e aprender com as falhas?

Quando um avião cai, o Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes) conduz uma investigação, redige um relatório e o publica em um banco de dados público online para o setor acessar e aprender em cima disso. Quando um processo por negligência médica é resolvido, ele geralmente não é divulgado. 

Você não conseguirá aprender com as falhas, a menos que as lições aprendidas e as modificações do sistema sejam divulgadas e as equipes sejam instruídas sobre como fazer as coisas de maneira diferente.

As organizações que realmente priorizam a importância da gestão da qualidade e segurança do paciente evoluem quando são transparentes e promovem uma troca sadia no setor em que atuam. Algumas organizações de saúde avançaram em direção a esses objetivos, mas muitas ainda não caminharam nesse sentido.

Envolva pacientes e famílias

Muitos hospitais não envolvem pacientes e famílias. Envolver não significa apenas solicitar um feedback ao final de um procedimento ou tratamento, mas também incluí-lo durante o desenvolvimento ou fases do tratamento. 

Um paciente, mais do que ninguém sabe o que está faltando para melhorar a gestão da qualidade e segurança do paciente, pois está vivenciando as dificuldades no dia a dia. Uma pessoa que está internada, sofre de uma doença e está realizando um tratamento já possui muitos problemas e preocupações para lidar, portanto, o seu hospital não deve ser mais uma preocupação e sim um atenuador, algo que trará mais alívio para esse momento sofrível. 

Uma opção para envolvê-lo mais pode ser oferecer acesso aos portais de registros eletrônicos de saúde, onde ele poderá consultar informações úteis sobre sua condição e os próximos passos. 

Espalhe os resultados positivos e insights 

Claro que divulgar os méritos e sucessos alcançados é sempre positivo para a reputação de um hospital, mas a importância de espalhar os resultados positivos e insights está em criar uma mentalidade madura de gestão da qualidade e segurança do paciente em toda a organização e comunidade. 

As pessoas realmente sabem o que você está fazendo para mantê-las mais seguras? Com que profundidade você integrou essa mensagem nas comunicações dos pacientes, familiares e beneficiários? Você reconhece o que suas equipes estão fazendo para melhorar o atendimento aos pacientes? Que recursos e tecnologias, além das métricas, você utiliza para humanizar a segurança e a qualidade no seu hospital?

Essas reflexões fazem total diferença para melhorar a gestão da qualidade e segurança do paciente. Se você quer saber como a Biocam pode te ajudar nesse sentido, entre em contato conosco e consulte nossas soluções de IoT que prometem transformar o atendimento e operações dentro do seu hospital. 

Fontes:

https://www.who.int/maternal_child_adolescent/topics/quality-of-care/definition/en/

https://www.ahrq.gov/patients-consumers/diagnosis-treatment/hospitals-clinics/10-tips/index.html

https://stanfordhealthcare.org/about-us/quality.html

https://blog.cureatr.com/the-importance-of-patient-safety-in-healthcare

[avs_toc]

Deixe seu e-mail e receba conteúdos exclusivos