gás medicinal

Monitoramento de gás medicinal nos hospitais

O gás medicinal é fundamental para executar diversas funções dentro dos hospitais e outras unidades de saúde. Conhecer os tipos mais comuns de gases, entender como cada um é usado e como manter seus sistemas de gás controlados através de um monitoramento eficiente e constante trará mais bem-estar aos pacientes e garantirá o sucesso das suas instalações hospitalares.

Confira os principais gases medicinais usados nos hospitais:

1- Oxigênio

O oxigênio é um gás medicinal necessário para uso em diferentes ambientes hospitalares e é utilizado para reanimação e terapia de inalação. Pode ser usado para condições médicas diferenciadas como doença pulmonar obstrutiva crônica, cianose, choque, hemorragia grave, envenenamento por monóxido de carbono, trauma, parada cardiovascular e respiratória, ressuscitação, dentre outros procedimentos.

2- Dióxido de carbono

O dióxido de carbono é utilizado para insuflar o gás medicinal para cirurgias menos invasivas, como a laparoscopia, a artroscopia, a endoscopia e a crioterapia, bem como para a estimulação respiratória durante e após a anestesia. O CO2 pode ser canalizado em grandes hospitais, mas geralmente provém de um tanque.

3- Nitrogênio líquido medicinal

O nitrogênio é um gás medicinal usado para a remoção da criocirurgia de alguns tipos de câncer e lesões da pele e também para o armazenamento de tecidos, células e sangue em temperaturas extremamente baixas para evitar a oxidação das amostras. Também pode ser usado como parte da mistura de gases medicinais para testes de função pulmonar. A indústria farmacêutica também usa esse gás medicinal na fabricação de medicamentos.

O nitrogênio como gás é usado para energizar ferramentas. Na maioria das vezes, ele fica concentrado em cilindros e é canalizado através de pressão com um sistema de alarme na fonte e no local de uso.

O nitrogênio líquido fica a centenas de graus abaixo de zero e congela o tecido que entrar em contato. Por isso, ele pode ser usado em uma sala de procedimentos, para tirar verrugas por exemplo, ou para congelar amostras de tecido, Além disso, ele vem em frascos pressurizados isolados para não evaporar.

4- Óxido Nitroso

O Óxido Nitroso é um gás medicinal comumente conhecido como “gás hilariante” por conta do efeito que causa nos pacientes. Os dentistas começaram a usá-lo como analgésico em 1812. Desde então, esse gás medicinal é usado em numerosos procedimentos cirúrgicos como anestésico e analgésico.

Há certos momentos em que este gás medicinal é contra-indicado e os pacientes submetidos a esses tipos de procedimentos recebem uma pulseira de aviso de gás medicinal que alerta a equipe médica para não administrá-lo.

Por que monitorar os gases medicinais?

Seus sistemas de gases medicinais precisam ser inspecionados regularmente, não apenas porque são essenciais para o bem-estar de seus pacientes, mas também porque essas inspeções podem fazer a diferença entre o sucesso financeiro ou o fracasso do seu hospital.

É importante que você forneça aos técnicos de suas instalações informações sobre conserto, manutenção e operação para manter seus sistemas de gases medicinais seguros e operacionais, sem desperdício.

Lembre-se que o gás medicinal, como outros produtos médicos, deve ter uma licença para ser vendido. O equipamento deve ter uma marcação para indicar que está em conformidade com as exigências e regulações.

Devem ser feitas inspeções periódicas de sistemas de gases medicinais como o sistema de oxigênio, todos os sistemas de fornecimento central e monitor de monóxido de carbono.

Inspeções periódicas também são necessárias para medir as entradas e saídas dos gases medicinais e realizar a manutenção para todos os sistemas de fornecimento central.

Saiba sobre a regulação dos gases medicinais pela Anvisa para manter seu hospital dentro das normas vigentes.

Monitoramento de agentes anestésicos em salas cirúrgicas

Um aspecto importante é a eficiência do sistema de ventilação e sua capacidade de remover os agentes anestésicos da sala de cirurgia. Os níveis de agente devem ser verificados continuamente.

A legislação e a aplicação neste campo variam muito de país para país. Por exemplo, na Itália, a lei exige o monitoramento extensivo de gases anestésicos em salas de operação e medições frequentes no sistema de ventilação.

Os gases anestésicos que geralmente são monitorados são óxido nitroso, isoflurano, enflurano, sevoflurano e desflurano. Dióxido de Carbono (CO2) e Isopropanol também são monitorados para compensar as interferências. O CO2 também é usado como um indicador da qualidade do ar e da eficiência da ventilação na sala de cirurgia.

Além do monitoramento contínuo da sala de cirurgia, a sala pré-anestésica adjacente também são monitoradas.

Conclusão

Conhecer as diferenças entre os vários tipos de gases e compressores, bem como entender seus requisitos de manutenção, é essencial para manter o funcionamento do hospital seguro, operacional e econômico.

Aderir aos padrões de manutenção adequados permitirá que sua instalação evite riscos e atrasos desnecessários. Além disso, entender os tipos de gases medicinais que você está usando e como usá-los adequadamente manterá a segurança máxima do paciente.

O que você faz para monitorar os gases do seu hospital? Deixe um comentário!

Fontes:

5 Common Medical Gases Used in Hospitals – CHT

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *