Posts

Top 3 Dicas Para Evitar Riscos Hospitalares na Pandemia

Germes e vírus estão em todos os lugares, mas os centros de saúde e hospitais devem estar especialmente vigilantes ao controlá-los e evitar riscos hospitalares. Se não forem tomadas as medidas adequadas para evitar a contaminação cruzada em hospitais e outros ambientes de saúde, isso pode colocar em risco a equipe e os pacientes.

A disseminação de bactérias e outros patógenos é particularmente preocupante para pessoas com sistemas imunológicos comprometidos, por isso é fundamental ter protocolos de limpeza que atenuem adequadamente a ameaça de contaminação cruzada. 

É importante que todo hospital crie uma política e programa de limpeza centrada no paciente com a prevenção de contaminação cruzada do coronavírus e outros vírus que circulam nos ambientes hospitalares. 

Confira estas três dicas para ajudar a evitar a contaminação cruzada em seu hospital:

1- Use Produtos Corretos Para Limpeza 

Para impedir que bactérias nocivas se espalhem, sua equipe precisa saber a diferença entre limpeza, higienização e desinfecção. Eles também precisam ter os materiais de limpeza certos para fazer o trabalho corretamente:

  • Panos de microfibra. A microfibra é mais eficiente ao coletar sujeira, resíduos e germes do que os materiais de limpeza tradicionais. Uma combinação de água limpa, detergente e um pano de microfibra é ideal para a limpeza básica da superfície.
  • Desinfetante hospitalar. Depois que uma superfície ou um item é limpo, ele pode ser desinfetado. As unidades de saúde devem usar desinfetantes hospitalares para evitar a contaminação cruzada.
  • Desinfetante para as mãos com álcool em gel. Manter o desinfetante para as mãos à base de álcool amplamente disponível em toda a unidade de saúde pode ajudar a impedir a propagação de germes no contato corpo a corpo.

Além de usar os suprimentos certos, manter os materiais sujos e limpos separados e seguir os procedimentos adequados na lavagem também são críticos para reduzir os riscos hospitalares de contaminação cruzada nos ambientes de saúde.

2- Programa de Limpeza de Rotina 

A limpeza e desinfecção regulares ajudam a controlar vírus e bactérias antes que eles tenham a chance de se espalhar de uma superfície ou sala para outra. Os itens e superfícies que são tocados com frequência são mais propensos a contaminação e, portanto, requerem uma limpeza mais frequente e completa. 

Toda a equipe deve ser treinada com protocolos básicos de limpeza para ambientes de assistência médica, especialmente áreas de alto contato, para minimizar os riscos hospitalares de contaminação cruzada.

As superfícies de alto toque nas configurações de assistência médica incluem:

  • Maçanetas
  • Trilhos para cama
  • Mesas
  • Torneiras
  • Assentos sanitários e alças de descarga
  • Telefones
  • Botões do elevador
  • Dispensadores de desinfetantes para as mãos

3- Incentive a Higienização das Mãos da Sua Equipe 

A conscientização é a melhor maneira de reduzir os riscos hospitalares. A higiene adequada das mãos é a dica mais simples, mas talvez a mais importante, de prevenção da contaminação cruzada nos estabelecimentos de saúde. A higiene adequada das mãos consiste em apenas algumas etapas fáceis:

  1. Molhe as mãos com água.
  2. Aplique sabão, espuma e esfregue vigorosamente por pelo menos 20 segundos.
  3. Preste atenção a todas as superfícies das mãos, incluindo as unhas.
  4. Enxágue bem e seque as mãos com um pano limpo, secador de ar ou toalha descartável.

Pare evitar riscos hospitalares de propagação de germes e vírus, garanta que sua equipe esteja lavando as mãos da maneira correta e nos momentos certos. De acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), a higiene das mãos nos estabelecimentos de saúde deve ser realizada nas seguintes situações:

  • Antes de comer.
  • Antes e depois do contato com a pele do paciente.
  • Antes de mudar para um local de corpo limpo após o contato com um local de corpo contaminado.
  • Depois de usar o banheiro.
  • Após remover as luvas.
  • Após contato com qualquer objeto próximo a um paciente.
  • Após contato com fluidos corporais ou pele.
  • Depois de higienizar uma ferida.

Embora sua equipe desempenhe um papel crucial na prevenção diária da contaminação cruzada, também é recomendável que os estabelecimentos de saúde façam parceria com empresas de limpeza terceirizadas e experientes com procedimentos documentados, projetados para reduzir os riscos hospitalares de contaminação cruzada.

Leia também:

[avs_toc]

Deixe seu e-mail e receba conteúdos exclusivos